Cerca de 2 mil pessoas fazem protesto contra privatização do Parque do Jaraguá

Manifestantes combatem projeto que autoriza exploração pela iniciativa privada de 3 parques de SP

Agência Brasil ,

23 Junho 2013 | 14h41

SÃO PAULO - A Polícia Militar (PM) estima que cerca de 2 mil pessoas fizeram na manhã deste domingo, 23, um protesto contra a concessão para a iniciativa privada do Parque Estadual do Jaraguá. Os manifestantes iniciaram o ato por volta das 9h na esquina das ruas Mauro de Araújo Ribeiro e Alexios Jafet e seguiram para a entrada do parque, onde permaneceram até as 12h40.

O ato, convocado pelo Facebook, é contrário ao Projeto de Lei 249 do governo estadual, que autoriza a exploração pela iniciativa privada de três parques paulistas. Além do Jaraguá, a proposta inclui o Parque Estadual da Cantareira e o Parque Estadual de Campos do Jordão. Para os organizadores do protesto, a medida representa a privatização dos parques e podem contribuir para a degradação ambiental.

A Secretaria de Meio Ambiente, que propôs o projeto, esclareceu, por meio de nota divulgada no último dia 10, que a intenção é oferecer melhores serviços à população, como restaurantes, estacionamentos, trilhas, atividades de monitoria e lojas. O órgão espera que a medida resulte em melhoria da infraestrutura, no aumento do número de visitantes e no desenvolvimento de atividades de ecoturismo. Por fim, destaca que não se trata de privatização, mas de concessão de algumas áreas e que eles continuam sendo propriedade do estado.

Segundo informações da prefeitura de São Paulo, o parque do Jaraguá tem, aproximadamente, 5 mil hectares e é uma das últimas vegetações remanescentes da Mata Atlântica em áreas urbanas da cidade. Ele é conhecido por abrigar o ponto mais alto da região metropolitana. As trilhas do parque levam o visitante ao Pico do Jaraguá, com 1.135 metros de altitude, onde se tem uma vista privilegiada da capital.

Mais conteúdo sobre:
Protestos Parque Jaraguá manifestação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.