1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Centro de São Paulo tem bloco com karaokê

- Atualizado: 10 Fevereiro 2016 | 21h 19

Carnaval de rua da capital paulista teve recorde de público e arrecadação, segundo a Prefeitura

SÃO PAULO - O carnaval de rua de São Paulo, que bateu recordes de público e arrecadação, segundo a Prefeitura, continuou na Quarta-Feira de Cinzas. Pelo menos dois blocos estavam marcados para o centro da cidade nesta quarta, mas o destaque foi o Blokokê, que com o apoio da tradicional bateria e um potente esquema de som abriu os microfones para quem quisesse cantar. 

A maquiadora de cinema Amanda Mirage, de 31 anos, foi uma organizadoras do bloco, que nasceu entre a arquitetos, músicos, amigos e artistas. “Foi uma reunião de gente disponível. Ensaiamos dois meses e foi um resultado incrível”, disse, com rosto pintado e ornamentada de folhas nas costas. A ideia é ter o microfone aberto, para fazer um carnaval público e aberto. Músicas populares que venham da boca do povo. Ter de tudo, brega e popular.”

O bloco se concentrou na Ladeira da Memória, no centro, perto da Biblioteca Mário de Andrade. No repertório, Wando, Banda Eva e sertanejo. As fantasias variavam entre cangas e sungas coloridas, muita purpurina e bexigas rosas e verdes. Agendado para a Praça Dom José Gaspar, próximo dali, o Bloco Ruído acabou não saindo por causa da chuva. 

Blocos carnavalescos tomam as ruas de São Paulo
Heloisa Ballarini/ Secom
Haddad acompanha bloco afro

Fernando Haddad, prefeito de São Paulo, e Ana Estela, primeira-dama, acompanham o cortejo Ilú Oba de Min, no Centro

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em São PauloX