Casarão desapropriado pelo Metrô vira ponto de uso de droga

Um imóvel desapropriado pelo Metrô para as obras de expansão da Linha 5-Lilás, na Avenida Santo Amaro, zona sul, virou ponto de encontro de moradores de rua e usuários de drogas. Vizinhos reclamam da ocupação de um casarão onde ficava uma casa noturna, próximo da esquina com a Avenida Roque Petroni Jr.

Mariana Lenharo, JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

27 Abril 2010 | 00h00

O estabelecimento foi desapropriado há quatro meses, mas as obras ainda não começaram. Segundo um segurança de um supermercado, que fica logo ao lado, ali vivem cerca de 20 pessoas. "Eles ameaçam os moradores e roubam as compras de quem está saindo a pé", disse.

Moradores relatam que o grupo os intimida, pedindo dinheiro perto dos caixas eletrônicos do supermercado. "A gota d"água foi no feriado, quarta-feira passada, quando todo mundo em casa acordou às 3 horas da manhã com os gritos dessas pessoas", contou uma administradora de empresas. Outro morador da região disse que o grupo costuma xingar. "A gente é que tem de ficar preso em casa."

Ele diz que já entrou em contato com o Metrô duas vezes para se queixar. Na primeira, há algumas semanas, a empresa disse que mandaria ao local funcionários responsáveis pela segurança patrimonial. Ninguém apareceu. No segundo contato, na quinta-feira, o Metrô se comprometeu a dar um retorno, mas não se pronunciou.

À reportagem, o Metrô afirmou que, sempre que constata a presença de pessoas no local, solicita ajuda da Polícia Militar para a retirá-las. A empresa também divulgou que está aumentando a ronda na área e tomando providências para demolir o imóvel "no menor espaço de tempo possível".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.