1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Casal morre eletrocutado por raio em praia de Bertioga

Zuleide de Barros

07 Janeiro 2013 | 19h 09

Brasil lidera o ranking de incidência de raios, com 57 milhões de ocorrências por ano

BERTIOGA - Um casal de turistas morreu no final da tarde deste domingo, 6, na praia do Centro, em Bertioga, ao ser atingido por uma descarga elétrica. Os bombeiros ainda acenaram aos banhistas para que deixassem a praia com a chegada do temporal. Thiago Ribeiro da Costa, de 31 anos, e a portuguesa Inês Cruz, de 29, não tiveram tempo de correr. Eles caminhavam pela parte rasa da praia, quando foram atingidos pelo raio. Os dois foram encontrados de costas e de mãos dadas. A viatura do resgate chegou rápido ao local, mas já não havia o que fazer.

José Fernando Ferreira, um amigo do casal, que veio a Bertioga nesta segunda-feira para fazer o reconhecimento dos corpos, informou que o sonho dos amigos era construir uma casa em Itupeva, onde moravam. "Eles já haviam comprado um terreno e estavam na fase de planejamento da planta e da obra em si", disse. O corpo de Thiago foi liberado no final da tarde de segunda pelo Instituto Médico-Legal (IML) e será levado para Guaratinguetá, onde vai ser sepultado nesta terça, 8. Já o corpo de Inês será levado para Portugal. A irmã de Thiago, Edilene Cristina da Costa, lamentava a ocorrência mas dizia que foi uma fatalidade, "que nada podia ser feito". O casal se conheceu nos Estados Unidos e estava casado há quatro anos. Inês dizia sempre que adotou o Brasil como seu país de coração. Ela estava muito animada com a construção da casa, mas não abria mão de seu lazer favorito, que era a praia.

A incidência de raios cresceu não só na Baixada Santista, no ano passado, mas em uma série de cidades com mais de 200 mil habitantes. Especialistas acreditam que o aumento da ocorrência de raios seja causado pela alta taxa de urbanização, apontada como responsável por tempestades cada vez mais intensas. Dados dos satélites mostram que o Brasil lidera o ranking de incidência de raios, com 57 milhões de ocorrências por ano. O segundo país é a República do Congo, com 43 milhões, seguido pelos Estados Unidos, com mais de 35 milhões de ocorrências anuais.

Bem antes da temporada de verão, e como faz anualmente, a Defesa Civil do Estado instalou faixas ao longo das praias da região, recomendando que os banhistas deixassem as praias no decorrer das chuvas e dos temporais, uma vez que anualmente, os raios atingem e matam turistas nas praias do litoral.