Pedro da Rocha/AE
Pedro da Rocha/AE

Caminhão desliza no asfalto e entra em garagem de casa na Vila Madalena

Chuva fez motorista perder o controle e bater em dois carros estacionados; moradores dizem que acidentes são comuns na Rua Francisco Isoldi

Pedro da Rocha, do estadão.com.br,

15 Dezembro 2011 | 06h18

SÃO PAULO - O freio travou as rodas no asfalto molhado e o caminhão da Operação Limpa Bueiros da prefeitura seguiu deslizando, ladeira abaixo, até parar na garagem da casa no número 239 da Rua Francisco Isoldi, na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo. Ninguém ficou ferido no acidente ocorrido por volta de uma hora da manhã desta quinta-feira, 15, mas moradores reclamam que é comum carros derraparem na via e baterem nas residências.

 

Enquanto esteve no local, a reportagem do estadão.com.br presenciou diversos carros com dificuldades para trafegarem na rua inclinada, consequência do chão molhado. A mesma casa atingida hoje havia sido palco de outro acidente, de menor gravidade, há aproximadamente um mês e meio, segundo um morador, quando outro caminhão também perdeu o controle e encostou no portão.

 

"Praticamente toda semana tem colisão por aqui. O pessoal pega a rua para ir em direção à estação Vila Madalena do Metrô, e, por ser íngreme, acabam derrapando", contou a professora Patrícia Botelho, de 40 anos, dona da moradia danificada. O caminhão da prefeitura bateu ainda em um Polo preto e em um Clio azul, estacionados na garagem. Ela acha que a pista deveria ser mão única, e não dupla, com os veículos apenas subindo.

 

O motorista do caminhão, Alex Ribeiro Santana, de 31 anos, disse que o freio funcionou, mas o automóvel, que descia a via, deslizou até bater no portão. "No hora fiquei assustado, inclusive com meu colega, que estava ao meu lado, bateu a cabeça, mas acabou não se ferindo", disse Santana, que trabalharia até as 6 horas.

 

O dono do Clio, André Pereira, de 24 anos, aluga a garagem da vizinha, e reclamou da irregularidade do asfalto. "A prefeitura recapeou a Rua Girassol, mas quando chegou na Rua Francisco Isoldi, parou", disse Pereira.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.