Câmeras ajudarão a identificar responsáveis

A polícia vai usar imagens de câmeras espalhadas pela cidade para identificar e responsabilizar criminalmente vândalos que têm participado dos protestos contra o aumento das tarifas no transporte público. De acordo com o major Marcel Soffner, porta-voz da Polícia Militar de São Paulo, "tudo tem sido documentado e arquivado". Ele afirma que a corporação filma as operações e utiliza o sistema Olho de Águia, que usa imagens captadas em um helicóptero. A corporação também dispõe de várias câmeras espalhadas pela cidade.

Artur Rodrigues e Bárbara Ferreira Santos, O Estado de S.Paulo

13 Junho 2013 | 02h08

Ele afirma que o material será encaminhado para a Polícia Civil e para o Ministério Público.

Com o apoio das imagens das câmeras da PM, do comércio da Avenida Paulista e da imprensa, a polícia quer responsabilizar individualmente os manifestantes responsáveis por depredações ao patrimônio, obstrução de vias, incêndios e barricadas, informou o delegado Severino Pereira de Vasconcelos, do 78.º DP (Jardins). "As imagens da PM estão nítidas e foram fundamentais para a identificação dos detidos."

Estratégia. Na manifestação de hoje, a PM deve adotar a mesma estratégia que utilizou no protesto realizado anteontem. A ideia é manter grandes vias - como as Marginais Tietê e Pinheiros - livres do protesto. Nas demais, o objetivo da polícia é conseguir controlar a multidão a ponto de deixar algumas faixas livres para os veículos trafegarem.

Além dos policiais da área, a Tropa de Choque ficará de sobreaviso para intervir. O helicóptero Águia também será utilizado na operação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.