Camboriú terá o maior prédio da América do Sul

Edifício residencial na cidade catarinense contará com 63 andares e 196 metros, mais que o chileno Titanium La Portada, atual campeão

Júlio Castro, O Estado de S.Paulo

13 Fevereiro 2011 | 00h00

A cidade mais verticalizada de Santa Catarina também está prestes a se transformar no maior polo de arranha-céus do Brasil. Com seus 46 km², Balneário Camboriú, a menor cidade catarinense em extensão e a maior em densidade demográfica (2.350 habitantes por km²), terá o mais alto edifício residencial da América do Sul. Uma combinação de residencial e apart-hotel, que será construído na Barra Sul, próximo do teleférico.

O edifício terá 63 andares e 196 metros, superando o Titanium La Portada, de Santiago do Chile, com 52 andares e 194 metros.

É o que revela o prefeito da cidade, Edson Renato Dias (PMDB). "Conheci o conceito do projeto em uma apresentação em 3D. É algo sem igual na América Latina." O projeto do arranha-céu é mantido em sigilo absoluto pela FG Engenharia, também responsável por um prédio de 140 metros e 45 andares que será entregue em 2015.

O Plano Diretor do município não prevê limite de altura para edifícios à beira da praia. O prefeito afirma que não vê impedimento na execução da obra, desde que erguida dentro dos padrões de ocupação limitados em 40% do terreno. Ele diz que a localização do prédio na Barra Sul não vai projetar sombra na praia. Os 5,7 quilômetros de praia ficam prejudicados a partir das 15horas porque a cortina de edifícios que têm até 35 andares encobre o sol.

Com uma população de 108 mil habitantes, mas que na alta temporada chega a receber cerca de 1 milhão de turistas por mês, Camboriú tem no ramo imobiliário sua segunda maior fonte de renda, superada apenas pelo turismo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.