Câmara oficializa fim da senha para marcar presença

A alteração é uma resposta à revelação, pelo 'Estado', de que funcionários usavam a senha exclusiva de parlamentares

Diego Zanchetta / Adriana Ferraz, O Estado de S.Paulo

10 Julho 2012 | 13h29

Vereadores paulistanos aprovaram o fim do uso de senha de quatro dígitos para marcação de presença em sessões plenárias durante reunião realizada hoje de manhã na Câmara Municipal com integrantes da Mesa Diretora. Foi decidido ainda que será retirado o terminal instalado ao lado do elevador de uso exclusivo dos parlamentares e usado por eles para assinalar nomes no painel eletrônico mesmo fora do plenário. A parir de agosto, quando acaba o recesso, os nomes dos vereadores serão marcados apenas com o uso da biometria, ou seja, a impressão digital dos dedos, da palma da mão ou mesmo da íris.

As alterações são uma resposta à reportagem publicada no último dia 1º, quando o Estado revelou que funcionários da Casa marcavam presença para vereadores ausentes ou não em plenário durante a realização de sessões ordinárias ou extraordinárias - 17 dos 55 parlamentares foram flagrados cometendo a prática. Cada falta rende desconto de R$ 465 na folha de pagamento dos vereadores. No mesmo dia, foi divulgada ainda a existência de um dispositivo secreto, que permitia ao vereador marcar seu nome sem entrar no plenário.

As alterações confirmadas visam aprimorar o controle de presença dos vereadores durante as sessões. A lista de propostas, porém, não foi totalmente aprovada pelos vereadores. A medida que condicionava a remuneração dos parlamentares à presença comprovada por meio de verificação ao fim da sessão e a proposta de eliminar o prazo de quatro horas para marcação de presença não passaram. Segundo o presidente José Police Neto (PSD), ambas deverão ser votadas em plenário.

Mais conteúdo sobre:
Fraude na Câmara de SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.