WERTHER SANTANA/ESTADÃO
WERTHER SANTANA/ESTADÃO

Blocos de carnaval vão para a região do Ibirapuera em 2016

Prefeitura de São Paulo quer tirar concentrações de foliões da Avenida Sumaré e limitar festa na Vila Madalena e em Pinheiros

Juliana Diógenes e Rafael Italiani, O Estado de S. Paulo

09 Dezembro 2015 | 03h00

Após um carnaval tumultuado na Vila Madalena, na zona oeste da capital, neste ano, que provocou críticas dos moradores da região e a queda do subprefeito de Pinheiros, a Prefeitura de São Paulo vai proibir o desfile de grandes blocos na Avenida Sumaré no carnaval de 2016 e reduzir o número de atrações no bairro. A gestão Fernando Haddad (PT) pretende transferir os maiores shows, com demanda de trios elétricos, para a Avenida Pedro Álvares Cabral, no Parque do Ibirapuera, na zona sul da cidade.

Na Vila Madalena, o carnaval deve ser menor para evitar transtornos e aglomerações. Na edição deste ano, a Prefeitura precisou de apoio da Polícia Militar para conseguir liberar as vias e fazer a limpeza. Para dispersar o público, a PM usou bombas de efeito moral. Também houve atropelamentos e brigas, que terminaram com foliões esfaqueados. 

Se houver acordo entre Prefeitura e organizadores dos blocos, as atrações maiores, que se apresentaram na Avenida Sumaré neste ano, poderão desfilar na região do Ibirapuera. De acordo com o secretário municipal da Cultura, Nabil Bonduki, o local de apresentação é sugerido pelos blocos interessados. 

O prazo de inscrição termina neste domingo. “Os blocos querem ficar, em geral, mais próximos do centro expandido. Em função disso, eles estavam dialogando com a Subprefeitura da Vila Mariana a possibilidade de desfilar ali na Avenida Pedro Álvares Cabral”, disse Bonduki.

Controle. Nesta terça-feira, a Prefeitura publicou um decreto no Diário Oficial da Cidade estabelecendo a proibição do uso de cordas, correntes ou grades para isolar os foliões de pedestres. Bonduki afirmou, no entanto, que, caso seja necessário, a Prefeitura vai articular uma operação com a PM para repetir o controle de acesso dos foliões à Vila Madalena, como foi feito no carnaval deste ano.

O secretário afirmou que os conflitos registrados durante o carnaval “não têm a ver com os blocos”, mas com a alta demanda de frequentadores do bairro. “A Vila Madalena é muito divulgada. Queremos fazer a divulgação contrária, para que as pessoas não sigam para a Vila Madalena”, disse. 

Segundo Beatriz Torres, do conselho participativo da Subprefeitura de Pinheiros, a intenção é que a edição 2016 se concentre “no miolo” da Vila Madalena. “Desde que tenha um controle ferrenho dos carros de som e com fiscalização. O problema da Vila é que as ruas são estreitas e os moradores não conseguem entrar e sair do bairro”, afirmou. “Queremos um carnaval limitado, no coração do bairro, e que todos os ambulantes do perímetro sejam cadastrados.” Segundo Beatriz, nos últimos três anos, a folia na Vila Madalena tem sido um problema para moradores e comerciantes. 

No decreto, a Prefeitura vetou ainda que as organizações que promovem festas pela cidade possam exigir trajes específicos para os foliões dos blocos. Foi estabelecido também o limite de três metros para os carros de som.

O Estado procurou a Associação dos Moradores e Amigos da Vila Mariana, mas não conseguiu localizar representantes da entidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.