Bijou foi o primeiro cinema da cidade

Essas casas de exibição eram chamadas de cinematógrafos, o mesmo nome do aparelho inventado pelo francês Louis Lumière. O primeiro desses aparelhos chegou a São Paulo em 1896 pelas mãos de outro francês e morador da cidade, o fotógrafo Georges Renouleau. As projeções de Renouleau faziam muito sucesso, mesmo assim São Paulo demorou para ter seus cinematógrafos fixos. Ficava-se na dependência dos pontos que eram arrendados temporariamente pelos ambulantes.

O Estado de S.Paulo

29 Março 2013 | 02h01

"Cinematographo falante! A grande novidade da época, a última perfeição, a illusão completa por meio do phonographo. Vistas animadas de grande duração em cores", dizia o anúncio publicado no Estado em 17 de março de 1905. A era dos cinemas chegou pela empresa Richebourg, do espanhol Francisco Serrador. Detentora de um amplo acervo, a empresa apresentava, em diversas exibições, uma variedade de filmes até então jamais vista em São Paulo. O paulistano conheceu o cinema como espaço físico permanente em 1907, com a inauguração, na Avenida São João, do Bijou-Theatre.

História: cinemas funcionavam em galpões e filmes chegavam ao público por meio das exibições ambulantes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.