Batalhão de choque intervém e libera acesso ao Porto de Santos

Protesto começou por volta das 7h com o fechamento dos acessos já a partir da Rodovia Anchieta

Zuleide de Barros, O Estado de S. Paulo

24 Junho 2013 | 13h59

CUBATÃO - Depois de 4 horas de manifestações e fechamento das estradas que dão acesso ao Porto de Santos e ao Polo Industrial de Cubatão, a Polícia Militar, que assistia tudo à distância, interveio e dispersou os manifestantes, liberando o acesso à Rodovia Cônego Domênico Rangoni, no início da tarde desta segunda-feira, 24. O protesto começou por volta das 7h, com o fechamento dos acessos, já a partir da Rodovia Anchieta.

 

Até as 11h, o movimento era considerado pacífico, embora tenha causado sérios prejuízos para o parque industrial de Cubatão, porque coincidiu com o horário de entrada dos funcionários administrativos e dos turnos. Os maiores problemas foram observados na Usiminas, Petrobrás e na Vale Fertilizantes, que tiveram de liberar seus funcionários. Eles ficaram presos na estrada, no interior dos ônibus fretados. Mas a situação saiu de controle, a partir das 11h, quando vândalos resolveram atear fogo em pneus e até em um ônibus. Eles impediram o acesso dos bombeiros. Neste momento, o pelotão de choque foi recrutado e acabou dispersando o protesto, liberando as estradas da região. Não houve prisões.

 

A demora maior para liberar a estrada ficou por conta da limpeza da pista, já que alguns vândalos abriram a carroceria de um caminhão, liberando toda a carga de soja, que ficou espalhada pela estrada.

Mais conteúdo sobre:
protesto protestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.