BA: homem que quebrou carros se diz ameaçado

Três dias depois de ter danificado 42 carros em um acesso de fúria, o trabalhador baiano da área da construção civil Everaldo Santos Silva, de 35 anos, se diz assustado. Com ferimentos nas mãos e no tornozelo, ele teme represália dos donos dos veículos e pensa em procurar terapia. Por suas contas, não quebrou mais de dez carros. "Alguém se aproveitou da ocasião e destruiu o restante."

ELIANA LIMA , ESPECIAL PARA O ESTADO , SALVADOR, O Estado de S.Paulo

14 Dezembro 2011 | 03h04

No sábado, Silva voltava da praia, após tomar três latas de cerveja, quando notou que seu EcoSport havia sido arrombado. Ele pediu ajuda a PMs nas imediações, mas eles falaram para ele procurar uma delegacia. No clube, ouviu que nem poderia ter estacionado no local, por não ser sócio. "Não me contive e perdi a cabeça." Transtornado, ele passou a apedrejar, chutar e esmurrar todos os carros no estacionamento. "Só me lembro de ter sido algemado."

Silva diz que dois donos dos veículos estão no seu encalço e um chegou a ameaçá-lo de morte. "Se eu pagar o de um, os outros 40 também vão querer e eu não tenho como pagar tudo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.