Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Atual vice-campeã, Dragões de Real 'abriu a porteira' do Anhembi

Segundo lugar no ano passado, a escola de samba homenageou a música caipira em seu enredo

Bruno Ribeiro e Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

11 Fevereiro 2018 | 07h51

Vice-campeã do carnaval paulistano em 2017, a Dragões de Real "abriu a porteira" do Anhembi para levar música sertaneja ao sambódromo. Assim como fizeram a Mancha Verde, no sábado, e Mocidade Alegre e Vai-Vai neste domingo, a escola recheou seu samba-enredo com estrofes de grandes sucessos caipiras. "Sou caipira pirapora", "fio de cabelo" e "ainda ontem chorei de saudade", foram alguns versos cantados com uma leve toada sertaneja pelo intérprete Renê Sobral e acompanhada pelo público presente ao sambódromo.

A Dragões caprichou nas fantasias e alegorias para contar a vida do homem simples na roça. No abre-alas o cantor Sergio Reis, com um berrante nas mãos, foi um dos destaques. “É uma emoção muito grande, gostoso. Ainda mais eu que sou do bairro, nasci aqui, moro aqui na serra (da Cantareira). Emociona. O tema era esse, um bom tema. Mostra um pedaço da música do Renato Teixeira, ‘sou caipira pira pora’, a Romaria”, disse o cantor. 

Ele disse que o berrante que trouxe no desfile era dele, mas que a ideia de lavá-lo foi da escola. “O povo é muito carinhoso comigo, independente das torcidas. Todos eles mandam abraço, mandam beijo, fazem o coraçãozinho. Foi muito bom, não queria descer não.” Outro ícone da música caipira, a cantora Roberta Miranda apareceu em um carro em formato de gramofone. Com fantasias ricas em detalhes, a Dragões explorou as raízes e tradições sertanejas, como a festa junina, e não poupou referências às duplas de grande sucesso no País, como Chitãozinho e Xororó e Zezé di Camargo e Luciano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.