Atiradores não poupam nem criança em chacina no Jaçanã, zona norte da capital

Disparos foram feitos por motoqueiros; vítimas estavam na entrada de um lavarrápido

Ricardo Valota, O Estado de S.Paulo,

26 Julho 2012 | 02h41

SÃO PAULO - Motoqueiros armados abriram fogo, na noite desta quarta-feira, 25, contra várias pessoas que participavam ou apenas acompanhavam uma partida de baralho na entrada de um lavarrápido na região do Jaçanã, zona norte da capital paulista. Por enquanto, três pessoas morreram, entre elas uma criança de 12 anos.

 

Por volta das 21h30, os atiradores pararam em frente ao "Lavarrápido do Cesinha", na altura do nº 26 da Rua Morro do Livramento, na Vila Nova Galvão, bairro localizado próximo do limite entre a capital e Guarulhos, e começaram a atirar. As vítimas foram levadas para o pronto-socorro do Mandaqui, onde pelo menos três delas não resistiram aos ferimentos.

 

Os mortos são o dono do estabelecimento, César da Conceição, de 44 anos, um dos funcionários dele, de prenome Isac, e um garoto de 12 anos. Outras duas pessoas sobreviveram; uma delas seria um vendedor de batatas. A informação de que um dos feridos internados teria morrido não foi confirmada ainda. No local do crime foram encontradas cápsulas de pistola calibre ponto 40, o mesmo tipo de pistola utilizada pela Polícia Militar. Os dados preliminares da ocorrência foram encaminhados para o 73º Distrito Policial, do Jaçanã, mas tudo será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

 

Essa é a sétima chacina registrada neste ano na Região Metropolitana de São Paulo, elevando para 22 o número de mortos. Foram três casos na capital e quatro nas demais cidades. Não se sabe ainda o que motivou o crime desta quarta-feira, 25, porém, ele pode ter relação com o ocorrido dois dias antes na mesma região.

 

Emboscada. Na última segunda-feira, 23, às 21 horas, o soldado Anderson Andrade de Sales, de 28 anos, lotado nas Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (ROTA), foi ferido com três tiros de fuzil calibre 5.53 numa suposta emboscada feita por criminosos na Rua Flor de Ouro, localizada numa das extremidades da rua do lavarrápido.

 

O policial, ferido numa das pernas, num dos braços e na clavícula, estava em um Ford EcoSport preto e voltava para casa quando foi fechado por quatro veículos. Anderson foi encaminhado para o Hospital da Polícia Militar e internado numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Mais conteúdo sobre:
Chacina vingança DHPP homicídios mortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.