Cláudio Costa
Cláudio Costa

Árvore cai em trem da CPTM e interrompe trecho da Linha 9

Composições não circulam entre as Estações Grajaú e Primavera-Interlagos; passageiros tiveram de caminhar sobre trilhos

Tulio Kruse, O Estado de S. Paulo

17 Dezembro 2015 | 09h03

SÃO PAULO - A queda de uma árvore sobre um trem da Linha 9-Esmeralda, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), na madrugada desta quinta-feira, 17, interrompeu a circulação das composições entre as Estações Grajaú e Primavera-Interlagos, na zona sul da capital paulista. Alguns passageiros precisaram caminhar nos trilhos para sair de uma composição e entrar em um novo trem. 

Segundo a CPTM, a árvore cortou fios de energia e bloqueou a via férrea por volta das 4h45. 

Com a paralisação na linha, a Estação Grajaú ficou lotada. Passageiros tentavam embarcar nos ônibus disponibilizados pelo Plano de Atendimento entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência (Paese) em meio à confusão. As plataformas de trens estavam fechadas e, por causa do alto número de pessoas tentando embarcar, as ruas ficaram ocupadas e veículos tiveram dificuldade para sair do terminal.

De acordo com Cláudio Costa, que estava dentro de um trem na Linha 9 durante a madrugada, passageiros esperaram mais de 40 minutos para conseguir sair de uma composição parada na via por causa do incidente. 

Equipes de manutenção começaram por volta das 8h10 a operação de retirada da árvore. Técnicos usaram uma motosserra para cortar os galhos do tronco caído sobre o vagão.

Plano de emergência. A CPTM informou que enviou equipes de manutenção ao local e que o Paese, que disponibiliza ônibus da São Paulo Transporte (SPTrans) para atender estações paralisadas, foi acionado. Por volta das 8h45, não havia previsão para a liberação do trecho. O Paese fazia o transporte dos passageiros até a Estação Jurubatuba.

De acordo com a SPTrans, o Paese foi acionado a partir das 5 horas, com 30 veículos do consórcio Unisul. A empresa explicou que os ônibus que estavam na rua, atendendo outras linhas da região, tiveram que ser deslocados para realizar a operação de emergência. Por causa do horário de pico, não havia carros nas garagens para suprir a demanda do Paese.

A SPTrans afirmou ainda que não havia dificuldade para os veículos chegarem até a Estação Grajaú, mas que o deslocamento de unidades que atendiam outras linhas pode ter causado atraso. Ao todo, foram mobilizados 14 ônibus da empresa Cidade Dutra, dez da MobiBrasil, e seis da Viação Tupi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.