1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Área restrita a caminhões dobra a partir desta terça em SP

Ana Carolina Moreno e Felipe Grandin, do Jornal da Tarde

06 Novembro 2007 | 19h 03

Restrição visa melhorar o trânsito e diminuir emissão de poluentes na região central capital paulista

A cidade de São Paulo dobrou, a partir desta terça-feira, 6, a Zona de Máxima Restrição de Circulação (ZMRC), área onde caminhões de grande porte ficam proibidos de trafegar das 10 às 20 horas durante a semana e das 10 às 14 horas aos sábados. Uma só área de 24,5 quilômetros quadrados substitui as três anteriores, que somavam 11,5 quilômetros quadrados.       A medida foi estabelecida pelo decreto 48.338, que também limita a emissão de poluentes dos caminhões que podem trafegar na região, os Veículos Urbanos de Carga (VUC). Em contrapartida às restrições, o documento aumenta de 5,5 para 6,3 metros o comprimento máximo permitido para esses caminhões. Os VUCs devem ser cadastrados na Prefeitura e ter largura de até 2,2 metros.   "Os principais objetivos são reduzir a poluição e melhorar o trânsito nessa região, que concentra os principais núcleos de comércio e serviços da cidade", afirma Daphne Savoy, chefe do Departamento de Logística e Estudos Especiais da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). A empresa estima que existam 20 mil VUCs na capital.   A Prefeitura autorizou os VUCs a parar sem cartão na Zona Azul, das 7 às 9 horas. "É um estímulo para carga e descarga nesse horário", diz Daphne. Também podem trafegar na ZMRC os veículos que não podem em outros horários, como prestadores de serviços de urgência e utilidade pública. Outros, como caminhões de mudanças e de feiras livres, precisam de autorização especial.