Heino Kalis/Reuters
Heino Kalis/Reuters

Arautos atraem jovens com tradição medieval

Seminários na Grande São Paulo recebem estudantes de dezpaíses; homens e mulheres lembram os cavaleiros das Cruzadas

JOSÉ MARIA MAYRINK , O Estado de S.Paulo

03 Abril 2015 | 02h03

O mineiro Lucas Alves Gramiscelli, de 26 anos, foi ordenado padre no dia 22 de agosto, após 11 anos de estudos e formação nos seminários da Associação Arautos do Evangelho, sociedade de vida apostólica aprovada pelo Vaticano que chama a atenção pelo visual de seus membros - homens, mulheres, adolescentes e crianças que calçam botas de cano longo e vestem túnicas de estilo medieval, com uma cruz desenhada no peito e uma corrente e um terço amarrados na cintura. Ele conheceu a instituição em Belo Horizonte e decidiu ser sacerdote durante os cursos de Filosofia e Teologia em São Paulo. Agora, é professor e formador de seminaristas no Colégio Internacional Arautos do Evangelho, em Embu das Artes, com mais de 100 alunos.

Os meninos, provenientes de dez países, chegam atraídos pela proposta de vida baseada nas lições do Evangelho e na devoção a Maria, a mãe de Jesus. Todos se tratam por "senhor", independentemente da idade, pois é assim que os mais velhos se dirigem àqueles que se matriculam com 12 anos ou até menos. Nas casas e nos colégios das irmãs, a ala feminina dos Arautos do Evangelho, o tratamento de "senhora" não deixa de incomodar, mas ninguém reclama. "Cerca de 96% dos arautos (clérigos, irmãs e seminaristas) têm menos de 30 anos", informa o padre Alex Barbosa de Brito, de 42 anos, reitor do colégio e seminário de Embu das Artes. Sérios e calados nas horas de reflexão, são alegres e brincalhões nos contatos com quem visita seus conventos.

Fundados no Brasil por monsenhor João Clá Dias, seu superior geral, os Arautos têm mais de 9 mil membros em 72 países. São 1,8 mil no ramo masculino (leigos e clérigos, dos quais 140 são padres e 20 diáconos), 800 irmãs no ramo feminino e cerca de 4 mil homens e mulheres na Ordem Terceira, além de 2,5 mil aspirantes, em fase de aproximação. 

"É tudo uma beleza, sobretudo o ensino da Igreja", disse o indiano Ashley Gerard, de 15 anos, que chegou há dez meses da Índia para estudar em São Paulo. De família católica, ele deixou os pais e a irmã caçula para seguir os Arautos, sem saber ainda o que fará no futuro. É o caso também do espanhol David Camarillo, de 14 anos, há seis meses no colégio de Embu das Artes. Seus pais se surpreenderam quando ele lhes disse que gostaria de vir para o Brasil, atendendo ao convite dos arautos que visitaram seu colégio em Madri, no dia 13 de maio, festa de Nossa Senhora de Fátima.

O mineiro Guilherme Gonçalves Leite Garcia, 15 anos, de Montes Claros, aluno do 9.º ano do ensino fundamental, tem o mesmo entusiasmo. "Aqui é bom demais", assim ele define o ambiente do seminário, depois de um ano de estudos. Começou a participar dos Arautos em sua cidade, a convite do irmão, que frequentava a associação. O carioca Gabriel Marghuta Mares, de 13 anos, que recebeu a visita do pai na véspera do Natal, não quer nem saber de ir ao Rio para rever a família. Gosta dos estudos e adora os esportes

No seminário de Monte Tabor, na Cantareira, os alunos aprendem italiano, inglês, espanhol, hebraico e grego. São 105 alunos no ensino médio e 140 nos cursos superiores de Filosofia e Teologia. Ali estudam também Ciências da Religião as 79 moças do mosteiro feminino de Monte Carmelo, a 5 km de distância do seminário masculino.

As construções foram erguidas com doações de amigos. "As doações são nossa maior fonte de recursos", informa padre Alex, apontando uma placa em homenagem a um dos doadores, o empresário Fábio de Salles Meirelles, presidente da Federação da Agricultura do Estado de São Paulo (Faesp).

O conjunto de edifícios de Monte Tabor ocupa uma área de 107 km2 de floresta, entre Caieiras e Mairiporã. Segundo padre Alex, ela foi doada pelo proprietário de uma hípica desativada, sem necessidade de desmatamento. A propriedade está cercada de clubes e condomínios.

Embu. Os Arautos do Evangelho celebram a Semana Santa em Embu das Artes e na Cantareira, onde a beleza de suas basílicas de góticas atrai centenas de fiéis, a maioria membros dessa associação. À cerimônia da Adoração da Santa Cruz, às 15 horas de hoje, sucedem amanhã a Vigília da Ressurreição (às 19 horas na Cantareira e às 20 hora em Embu) e, no domingo, a Missa de Páscoa (às 10 horas em Embu e às 11 horas na Cantareira). Os endereços são Estrada do Capuava, 3040 (acesso pelo km 24 da Rodovia Raposo Tavares), em Embu das Artes, e Rua Avaí, 430, em Caieiras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.