1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Aposentado é encontrado morto no Rio Pinheiros

- Atualizado: 15 Março 2016 | 22h 48

Sidnei Marques Prandina saiu de casa no último dia 9 e não voltou mais; Polícia Civil instaurou inquérito para investigar causas

SÃO PAULO - A Polícia Civil instaurou inquérito para investigar a morte de um homem que foi encontrado no Rio Pinheiros, em São Paulo, na última sexta-feira, 11. O aposentado Sidnei Marques Prandina, de 49 anos, estava desaparecido desde a quarta-feira, 9, quando saiu de casa, no Jardim Patente, na zona sul da capital paulista, para ir a um centro espírita no centro da cidade. O corpo foi encontrado na Usina Elevatória de Traição, na altura da Ponte Cidade Jardim, na zona sul, com vários ferimentos e sem roupa.

A irmã da vítima, a dona de casa Ana Prandina, descarta a hipótese de suicídio. Segundo ela, Sidnei estava feliz, fazendo academia, comprando roupas e com planos para o futuro. "Ele falava que tinha muita coisa para fazer. Não tem como ele ter se matado, ainda mais do jeito que o corpo foi encontrado", disse.

Família acredita que aposentado pode ter sido assassinado por homofobia

Família acredita que aposentado pode ter sido assassinado por homofobia

Quando saiu de casa, Sidnei estava carregando apenas uma carteira, com cerca de R$ 10, e documentos. O celular ficou em casa carregando. De acordo com a família, a conta do banco de Sidnei não foi mexida. Uma outra hipótese levantada pelos parentes do aposentado é um crime de ódio, motivado por homofobia.

"A gente vê que esses absurdos acontecem todo dia. Ele era uma pessoa muito boa, família, sério. É uma angústia muito grande não saber o porquê de tanta violência", comentou Ana.

Segundo a Polícia Civil, o corpo da vítima foi encontrado dentro da Usina de Tração, onde ficou enroscado na parte do filtro de limpeza da água da usina. 

A Secretaria da Segurança Pública informou que "há necessidade de aguardar o laudo necroscópico em face da ausência aparente de qualquer ferimento produzido por armas, para verificar se a morte foi por afogamento, queda ou violência". 

O corpo de Sidnei foi enterrado no sábado, 12, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo.

As 20 cidades de SP sem registros de assassinatos
Divulgação
Veja se a sua cidade está na lista

A Secretaria da Segurança Pública anunciou que, depois de 14 anos, São Paulo apresentou taxa de homicídios dolosos (com intenção de matar) inferior a 9 casos por 100 mil habitantes. A marca é a menor da série histórica paulista, iniciada em 2001, e a menor do País. Em todo o Estado, foram registradas 3.757 mortes em 2015, ante 4.293 no ano anterior. Vinte pequenas cidades do interior não tiveram ocorrências entre 2001 e 2015. Confira a seguir quais são esses municípios e onde se localizam:

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em São PauloX