JOSÉ PATRÍCIO/ESTADAO
JOSÉ PATRÍCIO/ESTADAO

Após chuva, estações da CPTM fecham e grupo quebra catracas

Linha 12-Safira está paralisada entre as estações Brás e Jardim Romano; placa de metal caiu sobre via férrea depois de temporal

Mônica Reolom , O Estado de S. Paulo

07 Janeiro 2015 | 21h49

SÃO PAULO - Irritado com a interrupção da Linha 12-Safira, um grupo de passageiros quebrou catracas, lâmpadas, vidros e câmeras das Estações USP Leste e Comendador Ermelino na noite desta quarta-feira, 7. Segundo a assessoria da CPTM, algumas pessoas também atearam fogo nos materiais quebrados. Seguranças nas estações contiveram o grupo e, até as 21h30, ninguém havia sido preso.

A depredação ocorreu logo após uma placa de metal cair na via, pouco depois das 18 horas. A placa desabou sobre a linha férrea, entre as estações Brás e Comendador Ermelino durante as fortes chuvas que atingiram a região nesta quarta-feira. A circulação de trens continua interrompida entre as estações Brás e Jardim Romano. Da estação Jardim Romano em diante, os trens circulam com velocidade reduzida. 

Equipes de manutenção da empresa foram deslocadas para tirar a placa da via, mas não há previsão de restabelecimento do sistema. O sistema Paese foi acionado.

Chuvas. As chuvas desta quarta-feira fizeram com que o córrego Tiquatira, na Penha, transbordasse na altura da Avenida Governador Carvalho Pinto às 18h23. A Subprefeitura da região entrou em alerta.

Por causa do temporal, o Aeroporto de Congonhas chegou a fechar a pista para pousos e decolagens às 16h55, mas reabriu logo em seguida, às 17h08. O Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, ficou com restrição de pouso entre as 17h40 e as 18h20.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo chuvas CPTM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.