1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Apesar da chuva, índice do Sistema Cantareira diminui para 18,5%

Vanessa Stecanella - O Estado de S. Paulo

16 Fevereiro 2014 | 15h 01

Total do volume de chuvas necessário é quase o dobro do que costuma chover neste período

SÃO PAULO - As chuvas dos últimos dias ainda não tiveram efeito positivo sobre as reservas de água do Sistema Cantareira. Segundo dados disponíveis no site da Sabesp, hoje o índice que mede o volume armazenado do sistema que abastece quase metade da Grande São Paulo diminuiu de 18,6% da capacidade nesse sábado para 18,5% neste domingo.

A pluviometria do dia recuou de 18,9 milímetros (mm) para 3,1 milímetros. No mês até hoje, o indicador avançou de 31,6 mm para 34,7 mm. A média histórica de chuvas para o mês é de 202,6 mm.

O cálculo considera a manutenção das vazões de afluência dos rios e da captação de água da Sabesp e dos municípios do Consórcio das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ), entidade que representa as demais empresas e cidades que também utilizam o Sistema Cantareira para abastecimento de água. O total do volume de chuvas necessário soma 1.000 milímetros, praticamente o dobro do que costuma chover entre fevereiro e março.

Já no sistema Alto Tietê, que abastece a Zona Leste e alguns municípios da Grande São Paulo. O nível de armazenamento manteve-se em 40,2%, enquanto a pluviometria do dia recuou de 10,7 mm para 5,6 mm, acumulando no mês um total de 22,8 mm. A média histórica de chuvas para o mês nesse sistema é de 194,3 mm.