Apenas 22% dos motoqueiros fazem inspeção veicular

Secretaria acredita que esse número deverá subir para 84%, em razão dos agendamentos para os próximos dias

Elvis Pereira, do estadao.com.br,

04 Maio 2009 | 18h45

O prazo legal para a inspeção ambiental de carros com placas com final 1 encerrou-se no último dia 30 com a análise de 78% da frota registrada em São Paulo. A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente acredita que esse número deverá subir para 84%, em razão dos agendamentos para os próximos dias. O saldo das motos analisadas é menor: somente 22% da frota. Para estimular os motoqueiros a irem aos postos da Controlar, a Prefeitura pretende promover ações com sindicatos ligados à categoria.

 

Os donos de veículos com placa final 1 ainda podem realizar o teste. Mas, com o fim do prazo, estão sujeitos a multa de R$ 550 caso sejam parados em blitz. Além disso, não podem fazer o licenciamento. Até o momento, 73.858 veículos cujas placas terminam com os números 2 e 3 passaram pela inspeção, na qual é avaliada a emissão de poluentes. Outras 66 mil estão marcadas.

 

A inspeção reprovou 20% dos veículos a diesel atendidos e 18% das motos. Os carros apresentam o menor índice: 4%. Esses dados incluem aqueles que não ganharam o certificado na primeira vez e já voltaram aos postos. Nesta segunda, 4, começaram os testes com veículos com placa final 4 e foi liberado o agendamento para os com placas 5 e 6. Caminhoneiros poderão agendar a inspeção a partir de 3 de junho.

 

Reembolso

 

A secretaria informou que parte dos motoristas receberão a taxa de R$ 52,73 no próximo dia 11. Dos 31.321 solicitantes do reembolso, 15.748 tiveram o pedido aprovado. Para recuperar o dinheiro, é necessário ser aprovado na inspeção, estar em dia com o licenciamento e não dever para a Prefeitura nem para o Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

Mais conteúdo sobre:
inspeção veicular

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.