Antes da Marginal, Tietê era muito sinuoso

A história da Marginal do Tietê começou nos anos 1920, quando o sanitarista Francisco Saturnino de Brito apresentou ao prefeito Pires do Rio um projeto de retificação do Rio Tietê, na época muito tortuoso. O projeto previa um piscinão nas margens para evitar enchentes e a construção de avenidas marginais. Era ousado demais.

O Estado de S.Paulo

01 Março 2013 | 02h03

O relatório do engenheiro foi publicado e comentado na edição do Estado de 1926. "Os projectos de arruamento e parques serão feitos pela secção de urbanismo da directoria de Obras da Prefeitura. A commissão indica o traçado de algumas vias de accesso às pontes e para canalisação das águas pluviaes." O projeto, porém, só ganhou mais atenção em 1929, quando as chuvas de fevereiro provocaram uma grande enchente.

A Marginal do Tietê começou a ser construída nos anos 1950. "Foi entregue ao tráfego anteontem trecho da avenida Marginal Direita do Rio Tietê, compreendido entre a Ponte das Bandeiras e a Ponte do Limão, numa extensão aproximada de 2 quilômetros e meio", noticiou o Estado em 1956. As obras terminaram nos anos 1970. / ROSE SACONI

História: Projeto de retificação e criação de vias são da década de 1920, mas obra só começou nos anos 1950

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.