ANÁLISE: precisamos sentar juntos e enfrentar esses desafios

ANÁLISE: Florentino Cardoso

O Estado de S.Paulo

05 Junho 2013 | 02h01

 

A Associação Médica Brasileira vem demonstrando há algum tempo que é preocupante a situação da saúde pública no Brasil, não somente no Estado de São Paulo.

Consequência imediata: superlotação nas emergências e pacientes sem adequado atendimento, submetendo-os a maior risco e contribuindo para a ocorrência de mortes evitáveis.

As maiores emergências estão nas capitais e grandes cidades, onde há grande concentração de médicos. As condições de trabalho não são boas em muitos locais, o risco é grande e a remuneração não é suficiente.

Precisamos todos sentar juntos e fazer um novo desenho para enfrentar esses enormes desafios, que passam necessariamente por melhor financiamento, profissionalização da gestão e coibir desvios.

Nosso desejo é fazer sempre o melhor para a população. Se o cenário é esse no mais rico Estado do Brasil, imaginem nos rincões do nosso País continental.

* Florentino Cardoso é presidente da Associação Médica Brasileira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.