Rafael Arbex
Rafael Arbex

Alckmin inaugura 7º sistema de água da Grande São Paulo

São Lourenço poderá ser usado para abastecer até 2 milhões de pessoas que moram em Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Santana de Parnaíba, Vargem Grande Paulista e Osasco

Fábio Leite, O Estado de S.Paulo

03 Abril 2018 | 12h15

SÃO PAULO - A três dias de deixar o governo de São Paulo para disputar a Presidência da República, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) inaugura nesta terça-feira, 3, em Vargem Grande Paulista, no interior do Estado, as obras do Sistema São Lourenço, o sétimo manancial a fornecer água para os moradores da Grande São Paulo.

Com capacidade para produzir 6,4 mil litros por segundo, o São Lourenço poderá ser usado para abastecer até 2 milhões de pessoas que moram nas cidades de Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Santana de Parnaíba, Vargem Grande Paulista e Osasco, área de maior crescimento populacional na Região Metropolitana e que hoje é atendida pelos sistemas Alto e Baixo Cotia, que são antigos e pequenos, e Cantareira e Guarapiranga, que já estão sobrecarregados.

+++ Dois anos após racionamento, Grande SP gasta 15% menos água

O São Lourenço é o primeiro manancial de grande porte construído pelo governo em 25 anos. O último sistema de abastecimento feito pelo Estado foi o Alto Tietê, em 1993. A nova construção teve início no dia 10 de abril de 2014, após dois anos de atraso, em pleno crise hídrica deflagrada pela seca no Sistema Cantareira. A previsão era concluí-la até o fim de 2017. 

+++ Novo 'gatilho' para reajustar água em SP será discutido, diz secretário de Recursos Hídricos

A obra foi executada pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP) com as empreiteiras Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez. O investimento total, segundo a estatal, é de R$ 2,2 bilhões. 

De acordo com a Sabesp, o São Lourenço vai aumentar a segurança hídrica para toda a Grande São Paulo, beneficiando indiretamente os 22 milhões de moradores da região. A obra capta água na represa Cachoeira do França, em Ibiúna, e conta com 82 quilômetros de tubulações para levar a água até os municípios atendidos. A estação de tratamento fica em Vargem Grande Paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.