ERNESTO RODRIGUES/ESTADÃO
ERNESTO RODRIGUES/ESTADÃO

Alckmin e Doria inauguram obra habitacional no centro com confusão na cracolândia

Tucanos inauguravam prédio do Complexo Júlio Prestes quando GCM estava em confronto com dependentes químicos na cracolândia

Isabela Palhares, O Estado de S.Paulo

29 Março 2018 | 17h08

SÃO PAULO - O governador Geraldo Alckmin e o prefeito João Doria inauguraram nesta quinta-feira, 29, os primeiros 170 apartamentos do Complexo Júlio Prestes e a revitalização da Praça Júlio Prestes, no centro da capital, enquanto a Guarda Civil Municipal (GCM) entrava em confronto com dependentes químicos da região. O prefeito não deu entrevistas e não foi à inauguração da praça após a confusão.

Na tarde desta quinta, os tucanos inauguraram a primeira torre residencial em um terreno que abrigava a rodoviária da Luz, no coração da cracolândia, em frente à Estação Júlio Prestes. No total, o Complexo, construído por uma Parceria Público-Privada (PPP), compreende 1.202 unidades habitacionais, 60 lojas, uma creche e a sede da Escola de Música Tom Jobim. Quando foi anunciado, em janeiro do ano passado, Estado e Prefeitura diziam que levar moradores para a região era um passo para o fim da cracolândia.

Enquanto prefeito e governador discursavam sobre a importância do projeto dentro do salão de festas do prédio inaugurado, a uma quadra, a GCM entrava em confronto com dependentes químicos da cracolândia. Segundo Marcos Ferreira, inspetor da corporação, a confusão começou após a prisão de um traficante na alameda Cleveland, em frente à Estação Júlio Prestes.

“Toda vez que a gente prende um traficante é isso, eles vêm pra tentar resgatar o traficante preso. Foi o que aconteceu, a gente prendeu um traficante e eles se rebelaram. Nós os contivemos”, disse o inspetor ao Estado. Segundo ele, os dependentes lançaram pedras contra os guardas, que revidaram com bombas de gás.

Militantes do movimento Craco Resiste disseram que não houve reação dos dependentes e que a ação da GCM foi “desproporcional”. “É a violência diária e cotidiana que acontece no fluxo. Não tinha acontecido nada e eles agiram dessa maneira, como sempre fazem. A violência aqui piorou muito por causa da revitalização e da especulação imobiliária. Querem camuflar, tirar os indesejados da região com violência”, disse Marcos Vinicius Maia, integrante do movimento.

Em nota, a Secretaria Municipal de Segurança Urbana informou que, durante a inauguração, agentes da GCM que apoiavam a zeladoria no local prenderam uma mulher suspeita de tráfico em meio aos dependentes químicos. A suspeita foi encaminhada à 4ª Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise). A pasta disse que não procedem as informações do movimento. 

Questionada pelo Estado, a Prefeitura não comentou porque Doria saiu do evento antes de falar com a imprensa e sem inaugurar a praça, como estava previsto. 

Projeto. A entrega desta quinta faz parte da PPP da Habitação que prevê a construção de 3.683 moradias, sendo 2.260 de interesse social - as unidades são destinadas a pessoas que trabalham no centro. Segundo Alckmin, 190 mil pessoas se inscreveram para o sorteio dos apartamentos. “Nosso objetivo é aproximar a moradia do trabalho, essa era a única exigência para o sorteio. Essa região em alguns anos terá uma nova cara, vamos devagarinho recuperando a região”, disse o governador.

Segundo a Secretaria do Estado de Habitação, as outras sete torres residenciais do complexo, além da creche e da escola de música, serão entregues até agosto.

Doria destacou os outros equipamentos do complexo como sendo importantes para dar qualidade de vida aos novos moradores. “A creche para 200 crianças é um trabalho excepcional. O nível da creche é igual ao de uma creche privada, não fica devendo a nenhuma creche privada. [Tem] qualidade no acabamento, apresentação, ambientação, luz”, disse.

Já em clima de campanha eleitoral, os tucanos trocaram elogios e comemoraram a parceria entre Estado e Prefeitura. “É uma tabelinha que funciona muito bem entre eu e o governador. E continuará a funcionar porque Geraldo Alckmin será presidente do Brasil. Começamos a caminhada juntos e vamos iniciar uma caminhada pelo País no próximo dia 7 [de abril] para preservar o legado do governador, do PSDB, que é motivo de honra e orgulho para todos nós do Estado de São Paulo”, disse Doria.

“Nós [Alckmin e Doria] fizemos boas parcerias em benefício da população. Há uma sinergia e quem ganha é a população”, disse o governador ao se referir à PPP.  

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.