Ainda há camelôs na rua, mas têm medo da polícia

Os ambulantes ilegais diminuíram, mas não desapareceram da Rua 25 de Março e arredores. Apesar do efetivo extra da Polícia Militar na via, alguns chegam a montar bancas com caixas de papelão para vender CDs e DVDs piratas. "A pirataria chegou", gritam alguns deles, confiantes na impunidade.

O Estado de S.Paulo

30 Julho 2012 | 03h03

A maioria dos ambulantes ilegais, porém, é mais discreta. Defendem seus produtos com sacolas pretas nas mãos. Quando avistam as duplas de PMs que andam pela região, simplesmente botam os produtos nos sacos e param de anunciá-los. Mas vendem de tudo: DVDs, meias, água e brinquedos.

O Estado questionou a PM sobre quantos policiais foram designados para a Operação Delegada na região da 25 de Março. No entanto, a corporação não respondeu. A reportagem contou mais de 30 policiais fazendo rondas nos quarteirões de comércio mais movimentados da cidade. A Prefeitura informou que a ação dos policiais diminuiu em 70% a criminalidade na área das Subprefeituras da Sé, da Mooca e de Santo Amaro. /A.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.