AGU: 'Caso merece atenção'

O diretor do Departamento Internacional da Advocacia-Geral da União (AGU), Boni de Moraes Soares, afirmou que não conhece as especificidades do processo do garoto haitiano trazido por coiotes a São Paulo. Ele acredita, no entanto, que o caso vai merecer atenção e deve seguir o mesmo olhar que vem sendo dado pelo governo federal no sentido de favorecer a absorção de imigrantes que buscam ficar no Brasil.

O Estado de S.Paulo

10 Julho 2012 | 03h01

Segundo Soares, nos últimos anos o Brasil passou a acolher imigrantes que pedem asilo com artifícios legais como o do visto humanitário, que foram concedidos aos haitianos que fugiam das consequências do terremoto.

O governo precisou criar uma outra categoria de visto, já que os refugiados não vinham por causa de razões políticas nem vítimas de quadrilhas. "O caso desse jovem é ainda mais grave, porque ele é adolescente e foi vítima de um bando criminoso", disse Soares. / BRUNO PAES MANSO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.