1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Advogado é assassinado a tiros dentro de escritório

- Atualizado: 22 Março 2016 | 20h 49

Testemunhas afirmaram à polícia que um homem se apresentou como cliente e entrou no local, em Guarulhos

Balcone era criminalista e ligado a movimentos contra o governo Dilma

Balcone era criminalista e ligado a movimentos contra o governo Dilma

SÃO PAULO - O advogado Leandro Balcone Pereira, de 35 anos, foi assassinado na manhã desta terça-feira, 22, dentro do seu escritório, na região central de Guarulhos, na Grande São Paulo. Ninguém foi preso.

Testemunhas afirmaram à polícia que um homem se apresentou como cliente e entrou no escritório. Em seguida, foram ouvidos tiros e o suspeito sumiu. Ele é branco, tem cerca de 50 anos, gordo, calvo, usava óculos de grau, vestia camisa azul e calça jeans.

Embora o local não tenha circuito de segurança, policiais da Delegacia de Homicídios de Guarulhos encontraram câmeras que filmaram o suspeito andando na rua. Ele foi reconhecido por uma testemunha que o viu entrar no escritório.

Para os investigadores, a hipótese mais provável é que Balcone tenha sido morto por causa de desavença com algum cliente. Mas nenhuma possibilidade foi descartada por enquanto.

Balcone era criminalista e suplente de vereador pelo PSB. O advogado participava de movimentos contrários ao governo Dilma Rousseff.

Esta semana, ele postou nas redes sociais um texto no qual criticava a corrupção e defendia a prisão de políticos denunciados na Operação Lava Jato. Disse também que estava recebendo ameaças por ser criminalista e defender a “prisão do chefe da quadrilha”.

Investigação. Em nota, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo (OAB-SP), Marcos da Costa, lamentou a morte de Balcone e informou que a instituição vai acompanhar as investigações da Polícia Civil. “Era um jovem que se destacava na liderança da advocacia em Guarulhos”, disse. Balcone completaria 36 anos no dia 29 de março.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em São PauloX