Adolescente morre após espancamento praticado por policiais

Rapaz ficou cinco dias internado; ele teria recebido golpes com cabo de enxada, segundo parentes

O ESTADO DE S. PAULO

21 Abril 2017 | 19h29

SÃO PAULO - Um estudante de 16 anos morreu na tarde desta quarta-feira, 20, após ficar cinco dias internado no Hospital Regional Sul, em Santo Amaro, zona sul da capital, vítima de agressões que, segundo uma série de testemunhas, teriam sido praticadas por policiais militares.

Tanto a Polícia Civil quando a Corregedoria da Polícia Militar investigam o caso, segundo a Secretaria Estadual da Segurança Pública.

Segundo a Ouvidoria das Polícias do Estado, Gabriel Paiva estava em uma festa com cerca de 50 pessoas em uma rua da Vila Missionária, zona sul, quando policiais militares chegaram no local e dispersaram o encontro. Paiva, no entanto, teria sido abordado e espancado pelos PMs, que teriam usado um cabo de enxada contra o garoto, que ainda bateu a cabeça numa caçamba de entulho.

“Os familiares e testemunhas ainda disseram que os policiais, após as agressões, abandonaram o jovem agonizando na rua. Eles só socorreram o rapaz após a intervenção de uma moradora do local”, diz o advogado Ariel de Castro Alves, membro do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe), que acompanha o caso.

Um boletim de ocorrência foi aberto no 80.º Distrito Policial (Vila Joaniza). Os policiais acusados do espancamento são do 22.º Batalhão da Polícia Militar, que atua na zona sul. A Secretaria Estadual da Segurança Pública não deu mais detalhes sobre o caso. 

Mais conteúdo sobre:
SÃO PAULO Polícia Civil Santo Amaro Paiva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.