'Acordo coletivo' garante aprovação de propostas

Ontem, líderes da Câmara começaram a discutir quais projetos de autoria dos vereadores serão aprovados nas sessões legislativas marcadas até o dia 15. Trata-se de uma espécie de "acordo coletivo" entre a base do prefeito Gilberto Kassab (PSD), que controla a presidência da Câmara, e a oposição. O objetivo é tanto garantir a votação favorável aos projetos do Executivo quanto para angariar bandeiras políticas para os vereadores que tentarão se reeleger em 2012.

. / D.Z. e R.B., O Estado de S.Paulo

08 Dezembro 2011 | 03h07

Já há acordo, por exemplo, para a votação do projeto de Sandra Tadeu (DEM), que prevê a instalação de detectores de metais na entrada das escolas municipais. Outro projeto que deverá ser aprovado é de Francisco Chagas (PT), que obriga que as embalagens de alimentos vendidos em pacotes tenham a quantidade de glúten informada.

Vários projetos de vereadores aprovados em acordo parecido no primeiro semestre acabaram vetados pelo prefeito, como o que previa o pagamento de uma bolsa-creche para as mães que não conseguiam vaga na rede municipal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.