Christian Rizzi|ESTADAO
Christian Rizzi|ESTADAO

Abdelmassih chega ao Hospital Albert Einstein, em São Paulo

Ex-médico cumpre prisão domiciliar desde o início de julho; não há informações sobre o motivo da entrada

Sara Abdo, O Estado de S.Paulo

07 Agosto 2017 | 10h40

O ex-médico Roger Abdelmassih, de 73 anos, condenado a 181 anos por 48 estupros de pacientes, chegou na manhã desta segunda-feira, 7, ao Hospital Albert Einstein, na zona sul de São Paulo. Abdelmassih cumpre prisão domiciliar desde o início de julho. 

Procurado pelo Estado, o hospital não confirma o motivo da entrada, mas nega internação.  A reportagem não obteve resposta do advogado de Abdelmassih, José Luís de Oliveira Lima.

De acordo com a TV Globo, a transferência para o hospital foi autorizada pela juíza Wania Regina Gonçalves da Cunha, da Vara de Execuções Criminais de Taubaté, no Vale do Paraíba.

Abdelmassih estava preso em Taubaté, no interior de São Paulo, até que um erro quanto ao recurso manejado pelo Ministério Público levou o Superior Tribunal de Justiça (STJ) a restabelecer a decisão que concedeu regime domiciliar. 

Em maio, o ex-médico chegou a ser internado em um hospital da cidade com broncopneumonia. Os advogados do ex-médico vinham tentando conseguir perdão judicial para o preso desde o ano passado. 

O indulto humanitário pode ser concedido a presos que têm doença grave permanente, com limitação severa nas atividades, exigindo cuidados contínuos, que não podem ser dados na prisão. 

Mais conteúdo sobre:
Roger Abdelmassih

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.