Estadão
Estadão

A história do Tucuruvi e da Parada Inglesa

Nas imediações da estação de trem, em 1913, surgiram os primeiros prédios comerciais e as casas populares

O Estado de S. Paulo

08 Dezembro 2015 | 00h25

Importante bairro da zona norte, o Tucuruvi se formou no século XX ao redor das linhas do trenzinho da Cantareira, que até meados dos anos de 1960 era praticamente o único meio de transporte eficiente disponível para os moradores da região. Na Parada Inglesa, ainda existe a Rua do Tramway, com vestígios do nivelamento do terreno “montanhoso” para a passagem do trem. 

A estação de trem foi inaugurada em 1913. Ao seu redor surgiram então os primeiros prédios comerciais e as casas populares. Outros sítios e chácaras começaram a ser loteados. O empreendimento imobiliário mais consistente da região teve início nas décadas de 1920 e 1930, e evoluiu lentamente. Os lotes iniciais eram ocupados por pomares e jardins. (“Vendem-se terrenos em lotes, a prestação, em lugar esplêndido”, dizia o anúncio no Estadão, antecipando a onda, em 1914.) 

A primeira missa da região ocorreu em 1918, quando também se lançou a pedra fundamental da Igreja do Menino Jesus do Tucuruvi (neste link, veja a nota publicada em uma edição do Estadão de 1943, que versava sobre o aniversário de 25 anos da cerimônia; o atual templo da matriz foi construído na década de 1940). A matriz sediava prestigiadas quermesses, como essa, anunciada em 1945, e para a qual eram prometidos leilões e muito divertimento, “sendo o certame abrilhantado pela corporação musical luso-brasileira”. 

William Harding. As origens do Tucuruvi e da Parada Inglesa são parecidas com as do Mandaqui e do Tremembé (ao redor dos trilhos). Na ocasião da fundação desses bairros, predominava a paisagem verde. Eram sítios e fazendas. Em 1903, o inglês William Harding, que veio ao Brasil trabalhar na implantação da ferrovia, comprou algumas terras (fazenda Itaquaravi). Ali ele formou o primeiro núcleo de povoamento que receberia em breve o nome de Parada Inglesa, em virtude da passagem do trenzinho. 

Nove anos depois, surgiria a Villa Harding, uma construção imponente que era casa e escritório. O palacete ficava no topo de uma colina e tinha uma vista privilegiada da cidade em pleno desenvolvimento. Na origem, o palacete inglês tinha 7 mil metros quadrados. Foi demolido nos anos de 1970. Surgiu em seu lugar uma praça que não vingou. Agora, fica no mesmo terreno a sede da subprefeitura Santana/Tucuruvi. À medida em que as propriedades de Harding foram sendo vendidas, o Tucuruvi e a Parada perderam suas características rurais.

Igrejas, escolas e cinemas nasceram na morosa urbanização local, a partir de 1918. O metrô só chegou em 1998. Tucuruvi e Parada Inglesa são as duas últimas estações no sentido norte da linha 1 (azul).

Mais conteúdo sobre:
bairrosSP Tucuruvi e Parada Inglesa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.