''A fuligem é o poluente mais perigoso para a saúde''

ENTREVISTA

, O Estado de S.Paulo

27 Abril 2010 | 00h00

João Vicente Assunção

Professor do Departamento de Saúde Ambiental da USP

O professor do Departamento de Saúde Ambiental da Universidade de São Paulo (USP) acredita que a redução de caminhões é um dos fatores para a melhoria na qualidade do ar, apesar de não ser o único. Por outro lado, ele ressalta que é preocupante também o aumento na quantidade de veículos, principalmente nas Marginais, por causa dos congestionamentos menores.

A menor quantidade de caminhões na cidade é um dos fatores para a melhora?

Temos de levar em conta que é somente o primeiro mês de Rodoanel. Mas sim, quando você atua reduzindo a geração de poluentes - nesse caso os caminhões -, você diminui os poluentes no ar. E por isso deve se manter os índices na estação de Congonhas, por exemplo, que é a área da Avenida dos Bandeirantes.

Qual o poluente mais perigoso para a saúde?

A emissão de partículas articuladas (fuligem), porque tem outras substâncias tóxicas

Manter o trânsito fluindo melhora a qualidade do ar?

Sim, a poluição é menor quando o trânsito flui bem. Mas por outro merece preocupação saber que o fim dos congestionamentos atrai mais pessoas para os carros. O ideal por isso é investir no transporte público.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.