658 mil pessoas vivem em áreas de risco

Pesquisadores do Serviço Geológico do Brasil identificaram 158 mil moradias em áreas de alto risco, onde vivem 658 mil pessoas, nas 138 cidades mapeados até agora. O levantamento foi pedido pela presidente Dilma Rousseff após a tragédia de janeiro do ano passado na região serrana do Rio, quando mais de 900 pessoas morreram. A meta é mapear 286 cidades consideradas mais críticas até o fim do ano.

O Estado de S.Paulo

03 Julho 2012 | 03h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.