4 adolescentes são detidos acusados de roubo a casas

Vítimas reconheceram os jovens suspeitos de agir no Brooklin, zona sul, mas eles não tinham nenhum produto roubado

CAMILLA HADDAD, O Estado de S.Paulo

17 Julho 2012 | 03h03

Quatro adolescentes acusados de participar de vários roubos a residências no Brooklin, na zona sul de São Paulo, foram apreendidos pela Polícia Militar na noite de anteontem. Os jovens estavam com uma arma de brinquedo na Vila Cordeiro, também na zona sul. De acordo com a Polícia Civil, eles são suspeitos de roubar pelo menos três casas na região.

Segundo a polícia, três deles foram surpreendidos por PMs na Rua Miguel Sutil em "atitude suspeita". Eles não ofereceram resistência. Com um jovem de 15 anos os policiais encontraram a arma de brinquedo usada para intimidar as vítimas.

As características dos jovens, segundo a PM, é muito semelhante às do grupo de adolescentes que rouba residências na região do Brooklin.

Algumas vítimas foram até o 27.º Distrito Policial (Ibirapuera), onde o grupo foi reconhecido. Uma bancária, de 41 anos, que teve a sua casa roubada há uma semana, disse que a quadrilha costuma atacar quando a vítima está chegando em casa.

"Fui surpreendida na garagem. Em seguida, eles fizeram a 'limpa'. Levaram joias, dinheiro, notebook e celulares, mas em nenhum momento foram violentos. Fugiram com meu carro, que foi localizado no dia seguinte", afirmou a bancária.

O quarto integrante foi identificado ao ir com o pai à delegacia buscar o irmão. "Eu reconheci quando ele chegou", disse a vítima, que estava no DP.

Reféns. Os adolescentes, três de 16 anos e outro de 15, permaneceram em silêncio. Eles costumam manter as vítimas reféns por cerca de 40 minutos, enquanto pegam dinheiro e outros objetos. Após a ação, geralmente fogem no carro dos donos das casas.

Os pais dos adolescentes, porém, não aceitam a versão das vítimas. "Meus filhos não são bandidos. Eles trabalham e estudam. Minha casa é pobre, mas tudo que está lá dentro eu comprei", disse a mãe dos irmãos detidos, uma auxiliar de limpeza de 36 anos. Todos os adolescentes moram no bairro Real Parque, na zona sul da capital. Como a apreensão não foi em flagrante, os jovens foram liberados aos responsáveis.

"Agora eles serão acompanhados pela Vara Especial da Infância e da Juventude", disse o delegado titular do 27.º DP, Armando Roberto Bellio. Nenhum objeto roubado foi encontrado com os adolescentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.