22 centros são irregulares

Em junho, a ex-diretora da Brookfield Gestão e Empreendimentos Daniela Gonzalez disse ao Ministério Público que a empresa pagou propina para o ex-diretor do Departamento de Aprovação das Edificações (Aprov) Hussain Aref Saab para conseguir vantagens para o Pátio Higienópolis e o Pátio Paulista. No mesmo mês, o Estado revelou que o Mooca Plaza, na zona leste, funcionava havia sete meses sem alvará.

O Estado de S.Paulo

23 Julho 2012 | 03h04

Após as denúncias, a Prefeitura fez um pente-fino nos centros comerciais. Os fiscais apuraram que dos 47 shopping centers da cidade, 19 têm a documentação em dia. Outros 22 estão irregulares e seis não podem ser fiscalizados, pois são protegidos por liminares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.