Verão, calor, chuva e … dengue

Angélica Arbex

12 Janeiro 2017 | 11h12

Todo verão é igual. Muito calor, muita chuva, muita água parada e aumento de risco de epidemia de dengue e suas perversas variações. É, todo ano é igual, mas a gente pode fazer diferente. Em casa, no condomínio, na praça, na rua,  dá pra fazer diferente e ajudar a mudar a história desse verão no lugar onde a gente vive.

Você mora em condomínio? Essas dicas simples vão te ajudar. Primeiro, as áreas comuns… O zelador precisa fazer revisões periódicas e na época de chuva ter cuidado permanente. Mas não menos importante é o cuidado que a gente precisa ter dentro de casa. Cada apartamento tem riscos conhecidos e outros ainda não tão populares.

Nos prédios residenciais os cuidados  precisam ser redobrados porque há uma concentração de pessoas por metro quadrado maior do que nas casas, o que pode tornar o condomínio mais vulnerável. Uma área comum com foco do mosquito ou mesmo um apartamento fechado com água acumulada pode colocar um condomínio inteiro em risco.

Você mora em apartamento, veja como se proteger:

– Varanda Gourmet: toda a louça utilizada não deve ficar no escorredor evitando o acúmulo de água;

– Vasos de plantas, mini hortas, jardins precisam ter escoamento da água evitando o acúmulo. Use telas de nylon por exemplo;

– Coberturas: piscinas,  jacuzzis, canaletas, marquises,  nada de água limpa e parada;

– Caixa acoplada, vasos sanitários, ralos, vale o mesmo cuidado, recipientes sempre vedados, evitando água limpa e parada;

– Vai viajar? Faça uma revisão completa no seu apartamento e elimine qualquer possibilidade de acúmulo de água limpa e parada. Os apartamentos fechados são os mais propensos à criação de focos do mosquito.

Na área comum, o Zelador precisa ser orientado para vistoriar e corrigir riscos, mas todo condômino pode ajudar.

Confira os principais cuidados no condomínio:

Ralos externos e canaletas de drenagens para água da chuvas: tela de nylon para proteção;

– Ralos internos de esgoto: colocar tampa abre-e-fecha ou tela de nylon;

– Lajes e marquises: manter o escoamento de água desobstruído e sem depressões que permitam acúmulo de água;

– Fossos de elevador: verificar semanalmente se existe acúmulo de água, providenciando o escoamento por bombeamento;

– Vasos sanitários sem uso diário: manter sempre tampados, acionando a descarga e semanalmente;

– Caixas de descarga sem tampa e sem uso diário: tampar com filme plástico ou saco plástico aderido com fita adesiva;

– Pratos e pingadeiras de vasos de plantas: substituir a água por areia grossa no prato ou pingadeira, até a borda;

– Caixas d´água: mantê-las vedadas (sem frestas), providenciando a sua limpeza periodicamente;

– Piscinas em período de uso: efetuar o tratamento adequado com cloro;

– Recipientes descartáveis: acondicionar em sacos de lixo e disponibilizá-los para coleta rotineira da limpeza pública;

– Apartamento fechado: se no condomínio existe um apartamento sem uso, o síndico deve notificar o proprietário e solicitar que ele tome as providências para prevenção ainda com mais cuidados do que os apartamentos habitados.