Cineastas hypes fazem 8 curtas sobre crack: que seja o primeiro passo para expulsar os marqueteiros da política
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cineastas hypes fazem 8 curtas sobre crack: que seja o primeiro passo para expulsar os marqueteiros da política

Bruno Paes Manso

07 Maio 2014 | 07h40

Não creio que seria injusto afirmar que o marketing político foi uma das piores pragas surgidas durante a redemocratização. Acho que, no geral, o trabalho desses profissionais contribuiu para maquiar em excesso a imagem da política e dos políticos, que aparecem de forma pasteurizada, sempre com aquele jeitão de quem usa botox e pinta o cabelo de acaju. Tudo transpira falsidade*.

É por isso que, ações que ajudarem a enfraquecê-los, terão o meu apoio. Claro que se trata de um apoio insignificante, mas assumo como uma das minhas utopias. Nesse sentido, um pequeno passo já foi dado para mostrar que a comunicação na política não serve apenas para vender sabonetes. Na terça-feira, oito cineastas de Pernambuco (uma das antenas da cultura alternativa no Brasil) apresentaram curtas de 30 segundos sobre o crack. O projeto contou com a participação do cineasta Kleber Mendonça Filho, diretor de O Som ao Redor, candidato brasileiro ao Oscar de 2014. A iniciativa do programa foi da Prefeitura do Recife, articulado por um colega, o jornalista Eduardo Machado, que saiu da redação do Jornal do Commercio para se tornar secretário-executivo de Segurança Urbana na cidade.

Gosto mais de uns do que de outros. Natural. Mas bato palmas para o conjunto, feito por autores comprometidos com a verdade de sua obra. Pode parecer detalhe, mas trata-se de um ponto chave. Se são filmes ingênuos, equivocados, profundos ou transformadores, julgue você, leitor. O fundamental é que houve complexidade e reflexão no processo de execução, a respeito de um tema que exige justamente debate e visão crítica.

Seguem abaixo os oito filmes. Gostaria muito de saber a opinião dos leitores, que podem comentar no blog.

Kleber Mendonça Filho: Diretor do longa O Som ao Redor, candidato brasileiro ao Oscar deste ano, filmou também A Menina do Algodão (co-dirigido por Daniel Bandeira, 2003), Vinil Verde (2004), Eletrodoméstica (2005), Noite de Sexta Manhã de Sábado (2006), Crítico (2008) e Recife Frio (2009), filmes que receberam mais de 120 prêmios no Brasil e no exterior.

 

Marcelo Pedroso: Atua como diretor de cinema desde 2005, teve trabalhos premiados em festivais como a Mostra Internacional de São Paulo. Entre seus trabalhos em longa-metragem, estão Pacific (2009) e KFZ-1348 (2007), tendo também realizado curtas como Corpo Presente (2011) e Aeroporto (2010).

Tuca Siqueira: Diretora e roteirista, transita entre o documentário e a ficção em curtas-metragens e séries de TV. Autora do documentário Garotas da Moda.

Marcelo Lordello: Dirigiu o curta-metragem documentário “Garotas de Ponto de Venda”, seguido de “Fiz zum zum e pronto” (2008) e ‘No27’ (2008). Fez o documentário “Vigias” e seu primeiro longa de ficção foi “Eles Voltam”, premiado como melhor filme pelo júri e pela crítica no Festival de Brasília.

Katia Messel: Sua filmografia conta com mais de 300 obras produzidas (direção, roteiro, produção, direção de arte), além de oficinas, curadorias, participação em festivais, juris, prêmios nacionais e internacionais, programas de TV, sempre levando a cultura pernambucana (sua temática favorita) pelo mundo. Foi a primeira mulher a participar de um festival de cinema nacional, em 1973.

Camilo Cavalcante: Realizou os vídeos Cálice, Hambre Hombre, Os dois Velinhos, Leviatã, Matarás, entre outros. É roteirista e diretor dos curtas em 35mm: O Velho, O Mar e o Lago, A História da eternidade, para citar algumas que já acumulam mais de 120 prêmios em festivais.

Neco Tabosa: escreve, produz e dirige clipes, documentários e filmes de ficção para televisão, internet e cinema desde 1999.´Está mais vinvulado politicamente ao tema. Em 2008 começou a colaborar na divulgação da Marcha da Maconha Recife.

Antônio Carrilho: É Diretor, produtor e roteirista dos curtas Sociobiologia, O Homem da Mata e Poeta Urbano.

 

* Não vou resistir à piada. Segue por último o clássico vídeo de Marcelo Adnet tirando uma onda dos marqueteiros e dos políticos.