Leitora reclama que não recebeu autópsia do marido que morreu há quase 10 anos

Nicolas Monterisi morreu no dia 8 de junho de 2008

Renata Okumura

13 Maio 2017 | 05h00

Maria Aparecida afirma que seu marido, Nicolas Monterisi, morreu em 2008, depois que ficou internado na Santa Casa Misericórdia de São Paulo (Santa Casa). Ela diz que ele realizou um tratamento de linfoma, mas passou mal, retornou ao hospital e faleceu. Ela se queixa que não recebeu a autópsia e o laudo do Instituto Médico Legal (IML) que deveriam ser fornecidos pelo instituto médico.

(Foto: Pixabay)

Reclamação de Maria Aparecida: “O paciente Nicola Monterisi, nascido em 26 de março de 1957, foi internado na Santa Casa de São Paulo, para tratamento de linfoma, em 2008. Mas após fazer o tratamento, passou mal, foi para casa e depois retornou à Santa Casa. Faleceu no dia 8 de junho de 2008 na unidade de saúde. Pediram autorização para realizar autópsia. Só deram a declaração de óbito, mas não a autópsia e laudo do IML. Na época, apenas fui informada que o meu marido faleceu de hemorragia múltipla.”

Resposta da Santa Casa de São Paulo: “A Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo informa que o paciente Nicolas Monterisi entrou em óbito no dia 8 de junho de 2008. No dia 9 de junho daquele mesmo ano, após realização de necropsia, foi atestado o óbito. A instituição esclarece que tanto o prontuário quanto o atestado de óbito estão disponíveis no hospital. A Santa Casa ressalta que nesses casos não há emissão de relatórios específicos.”


Envie suas reclamações
Mande uma mensagem para o e-mail spreclama@estadao.com ou por WhatsApp para o número (11) 97069-8639. Nossa reportagem vai apurar a denúncia e apresentar a resposta no blog Seus Direitos, um espaço voltado ao cidadão e ao consumidor.

Mais conteúdo sobre:

óbitopacienteSanta Casa