Conserto fora da garantia

Jerusa Rodrigues

12 Junho 2013 | 17h59

Soube que a quebra do quadro do motor de veículos Tucson é normal, diz leitor

Por Jerusa Rodrigues

Reclamação de leitor: Sou proprietário de um Tucson 2008\2009 GL. Em maio reparei que toda vez que eu esterçava o volante, fazia um estalo na suspensão. Fui a uma concessionária Hyundai e descobri que o suporte da barra estabilizadora do carro estava quebrado. Detalhe: esse suporte é soldado no quadro que sustenta o motor do carro. Na concessionária fui informado de que meu carro havia perdido a garantia, pois as revisões de 70 mil e 80 mil kms não foram feitas na concessionária, mas em uma oficina particular – por isso eles não consertariam o carro. Mas não se trata de peça de desgaste, mas de segurança e, por essa razão, não importa se não está mais na garantia. Na mesma concessionária, o chefe da oficina disse o problema é normal nesse tipo de veículo e que ele já havia trocado o quadro do motor de 4 Tuchons que quebraram no mesmo lugar. No dia 13\4 liguei ao SAC da Hyundai e a atendente disse que faria um relatório para a montadora e me responderia em 3 dias. Depois de 15 dias sem resposta, liguei e fui orientado a ir a uma concessionária e pedir para que o chefe da oficina fizesse um relatório com foto da peça quebrada e a mandasse para a montadora. Soube 5 dias depois que eu teria de pagar R$ 3.100 pelo serviço. Estou muito decepcionado com a falta de retorno da montadora e já estou pensando em, depois que resolver esse problema, trocar esse carro por um outro de outra marca. Wellington Medeiros/ São Paulo

Resposta da empresa: A Caoa Montadora de Veículos – Hyundai informa que esclareceu o cliente do ocorrido. Como o plano de manutenção preventiva do veículo não foi feito na autorizada, a garantia do carro foi cancelada, conforme previamente informado no manual de garantia.

Réplica do leitor: Enfatizo que não estou questionando a garantia do veículo, mas o reparo do quadro do motor, que não é considerado peça de desgaste, e sim um componente estrutural e de segurança, cuja troca não está prevista nas manutenções preventivas. Vou arcar com a despesa do reparo, uma vez que a falta de retorno da montadora por 60 dias poderá comprometer a segurança de minha família e o desgaste de outras peças do veículo. Mas acionarei a montadora judicialmente.