Veja quanto valorizou a sua rua em São Paulo com a nova planta da Prefeitura

Estadão

19 Novembro 2009 | 12h13

Por Diego Zanchetta, Rodrigo Brancatelli e Felipe Grandin

A Prefeitura irá publicar na sexta-feira (20) no Diário Oficial a nova listagem de valores dos metros quadrados que consta na revisão da Planta Genérica de Valores (PGV). Essa lista é a base para o cálculo do valor venal do imóvel, que por sua vez é o preço usado no cálculo do IPTU. Em suma, se o metro quadrado da sua rua valorizou, prepara-se para um belo aumento do IPTU.

.

No link acima, é possível ver quanto vale agora o metro quadrado da sua rua, e assim estimar pelo tamanho do seu imóvel o novo valor venal. Os preços aparecem por quadras da rua – se você não sabe que quadra mora, é possível pelo menos ter uma idéia do preço médio do endereço. Coloque a sua rua na pesquisa e confira os novos preços impostos pela Prefeitura

A correção geral da PGV, que não ocorria desde 2002, resultará em um aumento médio de 31% no metro quadrado de toda a capital. Esse é um dos fatores que serão usados para calcular o novo valor venal do imóvel – e, assim, a respectiva taxa do IPTU, que também vai aumentar para mais de 60% dos donos de imóveis paulistanos. Na visão da Prefeitura, a nova PGV também serve de termômetro para avaliar quais são as áreas mais caras da cidade, as mais baratas e as que mais valorizaram nos últimos anos.

Levantamento feito ontem pelo Estado em 22 ruas, avenidas e praças de bairros de classes média e média alta indica altas que variam de 56%, na Paulista, a 700%, na Giovanni Gronchi. Região comercial reurbanizada e de onde foram retirados mais de 2 mil camelôs em 2006, o Largo da Concórdia, no Brás, teve o metro quadrado avaliado em R$ 1.728 – acréscimo de 422% se comparado aos R$ 331 estimados atualmente para a área. Vias residenciais ocupadas por prédios de classe média com até três dormitórios, caso das Avenidas Sumaré, em Perdizes, e Brás Leme, em Santana, tiveram aumentos superiores a 100%.

Nas regiões mais nobres da cidade, o reajuste deve ser ainda maior. Um exemplo é a Avenida Europa, onde houve salto de 163%. Também próximo da região dos Jardins, a badalada Rua Oscar Freire, principal reduto do comércio de luxo paulistano, o aumento do metro quadrado do terreno foi de 166%.

Do outro lado da cidade, as áreas nobres da zona norte também não escaparam da correção. O metro quadrado de prédios de alto padrão do Jardim São Paulo teve aumento estimado em até 285%. O mesmo ocorre na zona leste. No Tatuapé, na Rua Tuiuti, a via comercial mais importante do bairro, o preço do metro quadrado subiu de R$ 560,93 para R$ 1.613, o equivalente a alta de 188%.

COMENTE ABAIXO, O QUE VOCÊ ACHOU DO AUMENTO DO IPTU