SP ‘revive’ Guerra dos Emboabas

Estadão

04 Novembro 2009 | 05h51

FOTO: Divulgação

Por Edison Veiga

Prato cheio para quem gosta de História. A partir do dia 8, fica em cartaz na Casa do Bandeirante (Praça Monteiro Lobato, s/nº, Butantã. Fone: 3721-8611) a exposição Guerra dos Emboabas – 300 Anos Depois. Exibida entre agosto e setembro em Belo Horizonte (MG), a mostra conta como foi o conflito que lhe empresta o título, por meio de textos, fotos ilustrações e reprodução de material iconográfico.

Essa viagem no tempo começa com o Mito do Eldorado, lenda que teria ajudado a atrair aventureiros para o interior do continente em busca de pedras e metais preciosos. Mais adiante, um módulo retrata como eram os bandeirantes paulistas que descobriram o ouro em Minas Gerais, sua vida e cultura e os objetivos e contribuições de suas bandeiras.

FOTO: Divulgação

Os principais locais do embate, que ocorreram onde hoje estão localizados os municípios mineiros de Ouro Preto, São João del Rei, Sabará e Caeté, são objeto de mapas, gravuras e textos da época, assim como ilustrações e fotografias atuais dessas cidades históricas. Os conflitos são descritos com os detalhes narrados pelos historiadores nos últimos três séculos e ilustrados com artefatos de mineração e reproduções como um ex-voto pintado por uma testemunha ocular da guerra.

A exposição ocupa os mais de 300 m² da Casa do Bandeirante, por si só um símbolo histórico à parte. Afinal, trata-se de uma das poucas construções remanescentes da arquitetura paulista da primeira metade do século 18.

Paralelamente a esse evento, o Itaú Cultural (Avenida Paulista, 149. Fone: 2168-1700) sedia ainda, das 10h30 às 19h do dia 9, um ciclo de palestras intitulado 300 Anos da Criação da Capitania de São Paulo e Minas do Ouro.

FOTO: Divulgação