Doria mantém na Prefeitura ‘pai’ da Lei do Uber na gestão Haddad
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Doria mantém na Prefeitura ‘pai’ da Lei do Uber na gestão Haddad

Rodrigo Pirajá será chefe de gabinete na secretaria encarregada de tocar as privatizações prometidas pelo novo prefeito

Bruno Ribeiro e Fabio Leite

06 Janeiro 2017 | 13h05

A gestão João Doria (PSDB) decidiu manter na Prefeitura o principal responsável pela criação do modelo de regulamentação para aplicativos de transporte, como o Uber, em São Paulo. O advogado Rodrigo Pirajá, procurador da Fazenda Nacional, será chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Desestatização e Parcerias.

Na gestão Fernando Haddad (PT), Pirajá foi diretor-presidente da SP Negócios, estatal encarregada de fomentar Parcerias Público-Privadas (PPP). Com o economista Ciro Biderman, ele estabeleceu o modelo de regulamentação que prevê uma cobrança de R$ 0,10 por quilômetro rodado dos aplicativos de transporte, permitindo que a capital fosse a primeira cidade do País a liberar o serviço e lucrar com a arrecadação de impostos.

A nomeação de Pirajá foi oficializada no Diário Oficial da cidade na terça-feira.

rodrigo piraja tiago queiroz

Rodrigo Pirajá. Foto: Tiago Queiroz/ESTADÃO

A regulamentação fez com que o Uber e mais três aplicativos se instalassem na cidade: Cabity, Easy Go (da Easy Táxi) e o 99Pop (da 99). Esta última recebeu, nesta semana, um investimento de US$ 100 milhões da empresa chinesa Didi Chunxing, principal rival global da Uber.

O executivo não quis comentar sua nomeação. O titular de sua nova secretaria, Wilson Poit, também trabalhou na gestão Haddad e foi convidado por Doria para ficar na Prefeitura. A diferença é que Poit deixou a gestão Haddad ainda em 2015.