Doria congela nº de blocos na Vila Madalena e veta folia em 4 ruas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Doria congela nº de blocos na Vila Madalena e veta folia em 4 ruas

Blocos de carnaval famosos, como o Ritaleena e o Confraria do Pasmado, terão de sair do bairro por serem muito grandes

Bruno Ribeiro e Fabio Leite

12 Janeiro 2017 | 04h00

COM PEDRO VENCESLAU

(Atualizado às 13h59)

Para evitar a repetição de conflitos entre moradores e foliões, a gestão João Doria (PSDB) congelou o número de blocos carnavalescos na Vila Madalena, zona oeste da capital, transferiu blocos maiores para outras partes de Pinheiros e aumentou a relação de vias em que o tráfego dos foliões é proibido.

A Prefeitura Regional de Pinheiros, responsável por organizar os blocos no bairro, determinou que novos blocos que pediram autorização para desfilar no bairro mudassem seus itinerários. Uma força-tarefa que inclui técnicos da Regional, da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e da Secretaria Municipal de Transportes devem definir as rotas até o dia 15. O detalhes foram definidos em reunião ontem com representantes dos blocos, do poder público e de associações de moradores da região.

Entre os blocos que saem da Vila Madalena, está Ritaleena, que deve reunir 15 mil pessoas, e foi levado para a esquina da Rua dos Pinheiros com a Joaquim Antunes. Outro é a Confraria do Pasmado, que também vai para a Rua dos Pinheiros — no ano passado, o bloco já havia partido da Avenida Brigadeiro Faria Lima. A saída dos blocos deu espaço para outros nove grupos, menores, que irão para a Vila.

Carnaval na Vila Madalena em 2016. Foto: Rafael Arbex/ESTADÃO

Carnaval na Vila Madalena em 2016. Foto: Rafael Arbex/ESTADÃO

Circulação. A ampliação das vias restritas incluiu as Avenidas Rebouças e Brasil, além da Alameda Santos e da Rua Groenlândia. Já era proibido o tráfego pelas Avenidas Sumaré, Henrique Schaumann, as Ruas Teodoro Sampaio e Cardeal Arcoverde e pelas Praças Benedito Calixto e Horácio Sabino. Os blocos poderão cruzar essas vias.

O número de blocos no bairro de Pinheiros cresceu de 78 no ano passado para 111 neste ano. A proposta da Prefeitura é manter o mesmo efetivo policial do ano passado: 700 agentes. Eles deverão garantir que a dispersão dos blocos ocorra até as 20 horas.

Neste ano, fiscalização de ambulantes deve aumentar. Os comerciantes de rua continuarão sendo cadastrados pela empresa patrocinadora do carnaval, mas agora as Prefeituras Regionais também devem acompanhá-los. “Estamos descentralizando o carnaval”, disse o regional de Pinheiros, Paulo Mathias. “A fiscalização será mais intensa. Haverá restrição a ambulantes que utilizarem aparelho de som”.