Trem turístico vira ‘trem fantasma’ e será leiloado em São Roque
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Trem turístico vira ‘trem fantasma’ e será leiloado em São Roque

José Tomazela

16 Abril 2015 | 18h59

A prefeitura de São Roque investiu R$ 1,7 milhão na compra de duas locomotivas ‘maria-fumaça’ e vagões de época para instalar um trem de turismo entre a cidade e estação ferroviária da vizinha Mairinque. Cinco anos depois, o trem turístico não saiu do lugar. Antes da compra, a prefeitura revelou a intenção de usar a linha férrea concedida à America Latina Logística (ALL), mas o acordo não foi formalizado. Segundo a prefeitura, quando chegou a hora de por o trem nos trilhos, a ALL não concordou com o uso.

As locomotivas antigas e os vagões de 1940, restaurados, ficaram expostos ao tempo e se deterioram. “É o nosso trem fantasma, todo mundo sabe que tem, mas ninguém vê”, ironiza o comerciante José Maria de Arruda. Ele disse que o projeto, quando foi anunciado, era audacioso. O trem circularia nos fins de semana, fazendo um roteiro de 20 quilômetros, incluindo a rota do vinho de São Roque, com suas cantinas e restaurantes. O ponto final seria na estação de Mairinque, tombada em 1986 pelo patrimônio histórico estadual.

O trem chegou a fazer uma viagem experimental em 2012, depois que as locomotivas e vagões foram restaurados. O prefeito da época e convidados ocuparam os vagões, mas ficou só nisso. A concessionária, que usa a linha principal para transporte de cargas, exigiu adaptações para o uso dos trilhos nos fins de semana e o projeto foi abandonado. Os vagões foram pichados e já se deterioram, por isso o prefeito Daniel de Oliveira Costa (PMDB) quer leiloar os equipamentos. Ele afirma ter herdado o problema da gestão anterior. “Fizemos várias tentativas de parceria, mas as empresas acabaram recuando.” A data do leilão ainda não foi marcada.

O ex-prefeito Efaneu Godinho (PSDB) disse que o projeto foi desenvolvido com todo o cuidado e em parceria com a prefeitura de Mairinque, que cedeu formalmente o uso da estação local. Segundo ele, em documento assinado em 2011, a ALL concordou em compartilhar o uso da linha. Foi até feita parceria com a Associação Brasileira de Operações de Trens Turísticos e Culturais. Godinho lamentou a decisão de leiloar o trem. “Não podemos desistir de projetos que beneficiem a população.”

A ALL informou que cede o espaço em Mairinque para acomodar o material referente ao trem turístico e que apoia projetos de preservação da memória ferroviária, tendo prestado assistência aos dois municípios envolvidos no projeto. “No entanto, para que o projeto se realize é preciso definir seu traçado e critérios de engenharia que possibilitem o funcionamento em consonância com as condições da operação ferroviária na região.”

Trem turístico São Roque