Salto ganha parque ecológico em ilha intocada no Rio Tietê
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Salto ganha parque ecológico em ilha intocada no Rio Tietê

José Tomazela

02 Abril 2018 | 08h53

Uma ilha do Rio Tietê que permaneceu com a vegetação remanescente de mata atlântica inalterada ao longo de quase um século acaba de ser transformada em um laboratório ambiental a céu aberto, em Salto. A área, de 70 mil metros quadrados, ficou isolada após a abertura de um canal para a construção da Usina de Porto Góes, na década de 1920. Do outro lado, a ilha é banhada pelas corredeiras turbulentas do Tietê, próximo à cachoeira que deu nome à cidade.
Estudos já realizados indicam que o isolamento permitiu que espécies da fauna desaparecidas em outras áreas do município se reproduzissem ali. É o caso da andorinha taperá, ave símbolo de Salto, que praticamente desapareceu nos últimos anos, mas pode ser vista na ilha. De acordo com o prefeito Geraldo Garcia (PP), o objetivo é atrair o interesse de pesquisadores para transformar o espaço numa sala de aula ao ar livre, com atividades de educação ambiental e turismo ecológico.
O acesso gratuito ao Parque Natural da Ilha da Usina é feito por uma passarela suspensa sobre o rio, construída após a assinatura de um convênio entre o governo estadual, a Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae), detentora da usina, e a prefeitura. A ponte de 72 m, que transpõe as corredeiras do Tietê, é sustentada por cabos de aço e tem piso em concreto.
O visitante vai percorrer 230 metros de passarela suspensa no interior da ilha para evitar os impactos da visitação no solo. Ao fim do percurso, chega-se a um auditório com mirante, também suspenso, para observação da fauna. Painéis vão auxiliar na identificação da flora e da fauna. A estrutura do novo parque teve custo de R$ 1,4 milhão, com verba do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias (Dadetur), do governo estadual.
A unidade de conservação municipal foi inaugurada no sábado (31), pelo governador Geraldo Alckmin. Também foram entregues, restaurados, o Memorial do Rio Tietê, a Ponte Pênsil da Brasital, construída em 1913, e o Caminho das Esculturas. Todo o conjunto fica ao lado da cachoeira de Salto, a maior queda d’água no leito do Rio Tietê e toda sua extensão.

Ilha no Rio Tietê foi transformada em parque. Foto Anderson Oliveira – Prefeitura de Salto