Escoras sustentam casarão que hospedou Pedro II em Porto Feliz
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Escoras sustentam casarão que hospedou Pedro II em Porto Feliz

José Tomazela

17 Julho 2015 | 17h18

 Com as paredes e o teto sustentados por escoras de madeira, um casarão de taipa de pilão e pau-a-pique construído no início do século 18, corre o risco de desabar, em Porto Feliz. O prédio, que abriga o Museu Histórico e Pedagógico das Monções, único no Estado, e manteve as linhas originais ao longo de quase 200 anos, nunca esteve tão ameaçado. O acervo foi retirado e o imóvel de dois pavimentos está fechado há cinco anos.

    Em 1846, o casarão foi transformado em “Casa Real” para hospedar o imperador D. Pedro II. Também abrigou o então Barão de Caxias. Em 1905 foi adquirido pelo Governo do Estado para ser usado como grupo escolar. Apesar de reconhecer a importância desse patrimônio, tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado (Condephaat) desde 1982, o governo estadual alega falta de recursos para a restauração.

     O projeto de restauro, financiado pelo Programa de Ação Cultural (Proac) da Secretaria da Cultura do Estado e feito por um um grupo de arquitetos, foi aprovado pelo Condephaat. A obra está orçada em R$ 7 milhões pela Secretaria de Cultura do Estado, mas não há verba: a pasta foi atingida pelos cortes no orçamento estadual, em fevereiro deste ano, em razão da crise econômica.

    O Ministério Público Estadual já notificou a prefeitura e o governo estadual para a necessidade urgente de proteção ao imóvel. A promotoria de Porto Feliz informou que vai pedir à Justiça para obrigar o Estado a conservar o imóvel tombado de sua propriedade, sob pena de responder pela eventual perda do patrimônio. No último dia 5, o arquiteto Paulo Sérgio Del Negro, do Condephaat, vistoriou o prédio. Como resultado da vistoria, foram feitos novos escoramentos nas paredes internas e colocadas mantas plásticas sobre o telhado.

Casarão e sede de museu tem paredes escoradas.

Casarão e sede de museu tem paredes escoradas.