Os 105 anos de nascimento do compositor Ataulfo Alves*

Geraldo Nunes

12 Maio 2014 | 00h15

Além de assinar essa coluna, sou apresentador na capital paulista, da Rádio Estadão FM 92,9 ou AM 700 e isso me permite livre acesso ao arquivo digitalizado do jornal O Estado de São Paulo. Por curiosidade busquei a edição do dia 2 de maio de 1909, um domingo, data em  que nasceu na cidade mineira de Miraí, o cantor e compositor Ataulfo Alves, um daqueles grandes nomes da Música Popular Brasileira de quem quase ninguém se lembra mais, embora suas músicas continuem sendo cantaroladas e sua letras citadas vez por outra. Frases como, “eu era feliz e não sabia” ou reclamações do tipo, “ninguém vai me fazer de Amélia”, são referências extraídas das canções dele. Assim como Jair Rodrigues, que recentemente nos deixou, Ataulfo também era uma pessoa sensível e afável, como disseram aqueles que o conheceram. Se estivesse vivo completaria 105 anos.

Os jornais da época em que ele nasceu, em especial “O Estadão” ao qual visitei em uma versão digital, não traziam manchetes. Publicavam na íntegra, telegramas noticiosos das capitais brasileiras e internacionais. Me chamou a atenção as notícias versando as comemorações do Dia do Trabalho na Europa, especificamente em Roma, onde os operários para marcar a data deixaram de ir a seus locais de trabalho e se dirigiram à praça pública para manifestações que o jornal ressaltou terem sido pacíficas.

http://acervo.estadao.com.br/pagina/#!/19090502-11100-nac-0001-999-1-not

No meio artístico a música de Ataulfo continua sendo cantada por intérpretes de hoje. Paula Toller, do Kid Abelha gravou Errei Sim. https://www.youtube.com/watch?v=nPGcbBOEuB0 e Sandra de Sá, Leva Meu Samba. https://www.youtube.com/watch?v=iGB9Bc_c4nA

 Aos oito anos de idade o menino Ataulfo já escrevia versos. Morando com os pais e vários irmãos, em uma fazenda, se encarregava logo cedo de tirar leite das vacas e ajudava conduzir os bois do curral às pastagens. Em 1919, seus pais falecem um após o outro e ainda menino deixa a fazenda e para trabalhar no centro de Miraí com aquilo que aparecesse. Foi engraxate, carregador de malas e menino de recados, coisa comum no século 20, nas localidades onde não havia telefone, mas nunca deixou de freqüentar a escola e isso o ajudaria no futuro. Na fase adulta Ataulfo Alves se recordaria dessa fase de sua vida na música Meus Tempos de Criança gravada por ele e por outros inúmeros artistas, inclusive seu filho Ataulfo Alves Júnior. https://www.youtube.com/watch?v=OULFC6jjp_s

Aos dezoito anos se muda para o Rio de Janeiro acompanhando um médico para o qual trabalhava. De dia entregava receitas e à noite fazia serviços domésticos, inclusive limpeza, na casa deste médico. Descontente com a situação conseguiu emprego como Ajudante de Farmácia se tornando depois Prático em Farmácia. Como tocava, violão, cavaquinho e bandolim passou a frequentar as rodas de samba. Conheceu Judite, logo se casou com ela que lhe seus cinco filhos.

 Na boêmia faz amizade com Almirante que grava o samba “Sexta- Feira”, sua primeira canção a ser lançada em disco, mas curiosamente, Ataulfo considerava ser sua primeira música, um Tempo Perdido que Cármen Miranda gravou. A música inclusive é cantada no filme Meus Amores no Rio. Ao todo foram mais de 320 canções gravadas por intérpretes importantes até mesmo Roberto Carlos que lançou em compacto, Ai que saudades da Amélia em parceria com Mário Lago. https://www.youtube.com/watch?v=23iLzEbarmc

Zeca Pagodinho canta, Atire a primeira pedra. https://www.youtube.com/watch?v=ICDV_WdhmCw

Cássia Eller interpretava ao lado de Noite Ilustrada, Você acha eu passo graça. Mesmo com a bossa nova, Ataulfo Alves continuou admirado pelos mais jovens se apresentando em programas de TV como o Fino da Bossa. Em 1969, em decorrência do agravamento de uma úlcera após e poucos dias antes de completar 60 anos, Ataulfo nos deixava. Como diz o poeta Ferreira Goulart , “o artista não morre porque sua arte permanece viva”, ou então como cantou o próprio Ataulfo Alves, “morre o homem fica a fama” em  Na Cadência do Samba. https://www.youtube.com/watch?v=H3wv-d_6AN4

 *Click os links para ouvir as músicas