Noruega vai acabar com o rádio em FM a partir de 2017

Geraldo Nunes

26 Abril 2015 | 13h24

Enquanto Brasil promove lenta e timidamente a migração das rádios que operam em Amplitude Modulada – AM para a Frequência Modulada – FM, a Noruega se antecipa como o primeiro país do mundo a acabar inteiramente com o rádio em FM. A partir de janeiro de 2017 aquele país iniciará uma transição para o Digital Audio Broadcasting – DAB que passará a ser o padrão adotado em todo o território.

A notícia foi divulgada no Brasil pelo site Olhar Digital dando conta que o ministro da Cultura norueguês, Thorhild Widvey considera que a partir da mudança, “os ouvintes terão acesso a um conteúdo mais diversificado e pluralista, e vão desfrutar de uma qualidade de som melhor e com novas funcionalidades”. Para Widvey, a digitalização vai melhorar a comunicação no país no que diz respeito à preparação para emergências, graças ao imediatismo que o veículo oferece, além de facilitar o aumento da concorrência e oferecer novas oportunidades para a inovação e o desenvolvimento de novas tecnologias.

O DAB está disponível no país, desde 1995 e em 2007 foi disponibilizada uma versão de transmissão aprimorada, o DAB+. Juntos os padrões oferecem atualmente 22 canais e a capacidade para mais 20. A Frequência Modulada, por sua vez, oferece apenas 5. O custo de transmissão do novo formato é também 8 vezes menor que o da FM.

De acordo com o Ministério da Cultura da Noruega, caberá às emissoras de rádio escolher entre DAB e DAB+ nas transmissões. Outros países da Europa e do Sudeste da Ásia também estão considerando substituir a FM pelo DAB, mas nenhum outro país confirmou os prazos.

Busquei saber mais detalhes sobre o funcionamento desse sistema DAB e para isso consultei Ulysses Galletti, que além de profundo pesquisador de assuntos ligados ao Rádio e à Radiofônia, mantém em sua casa uma estação em PY. Ele concorda que o sistema DAB oferece vantagens em relação a uma emissão analógica em FM e informa que o sistema oferece maior resistência ao ruído e a interferências.

A norma DAB começou a ser desenvolvida nos anos 1980 e os primeiros receptores DAB começaram a ser comercializados em 1999. Galetti avisa que em Portugal se opera o sistema DAB desde 1998, tendo a Autoridade Nacional de Comunicações – ANACOM, entidade que regula e supervisiona os setores das comunicações eletrônicas e dos serviços postais o poder gerenciamento.

Por aqui a migração das AM’s para as duas novas bandas abertas em FM, desde o início de 2014, segue em ritmo lento, com poucos interessados, devido ao alto custo da transformação. Quem sabe o desenvolvimento do sistema DAB por outros países não permita que o Brasil também ingresse nessa tecnologia ao que parece mais avançada que os modelos de rádio digital já testados e com resultados não muito satisfatórios no hemisfério sul.