Curiosidades sobre o Dia das Mães

Geraldo Nunes

09 Maio 2014 | 02h36

O segundo domingo de maio, alusivo ao Dia das Mães só foi oficializado em lei, no ano de 1932, pelo então presidente Getúlio Vargas, mas desde 1918, a data vinha sendo comemorada em nosso país por iniciativa da Associação Cristã de Moços que trouxe a tradição dos Estados Unidos.

Também na Itália e no Japão, o  segundo domingo de maio está institucionalizado

No México, as mães são homenageadas sempre no dia 10 de maio.

Na Tailândia, a festa acontece em 12 de agosto, em homenagem à rainha Mom Rajawongse Sirikit.

Os Gregos antigos celebravam o “dia da mãe” na primavera. Evocavam Rhea, a mãe dos deuses fazendo oferendas de bolos de mel, boas bebidas e flores, logo na madrugada.

Talvez seja este o início da tradição de se levar o café da manhã à cama da mamãe no dia dedicado a ela.

A família imperial do Japão assinala os seus descendentes a partir do festejo Omikami Amatersasu, a Mãe do Mundo.

As escrituras da religião hindu atribuem à “Grande Mãe”, Kali Ma, a invenção da escrita através de alfabetos, pictogramas e imagens sagradas de grande beleza.

George Washington disse um dia: “A minha mãe é a mulher mais bonita que alguma vez vi. Atribuo todo o meu sucesso na vida, à educação moral, intelectual e física que recebi dela”. O dia comemorativo, porém, não foi oficializado por ele.

Uma jovem cujo nome era Anna Jarvis, após perder sua mãe, passou por um processo depressivo.

As amigas mais próximas dela, buscando amenizar o sofrimento, fizeram uma homenagem para aquela senhora que havia trabalhado como enfermeira na guerra civil americana.  

A festa passou a se repetir todos os anos, mobilizando outras famílias e em 1914, o presidente dos Estados Unidos, Thomas Woodrow Wilson, unificou a celebração em todos os estados e por sugestão da própria Anna, ficou estabelecido que o Dia das Mães seria sempre comemorado no segundo domingo de maio.

Posteriormente, já em 1923, Anna entraria com um processo para cancelar o Dia das Mães. Segundo ela, “o dia as mães não foi criado para dar lucro ao comércio”, culpando os lojistas que passaram a ganhar muito dinheiro com a venda de flores e presentes, mas não teve sucesso.

A data permaneceu e acabou sendo adotada por mais de 40 países.

A palavra “mantra” vem do sânscrito e para alguns entendidos significa “mãe”.

Os antigos egípcios acreditam que “Bast” era a mãe de todos os gatos do mundo e que os gatos eram animais sagrados.

Buda honrou as mães quando disse: “Uma mãe, mesmo que arrisque a sua vida, ama e protege o seu filho para que o homem possa cultivar a compaixão pelo mundo inteiro”.

Mãe é uma só, mas a data é especial para todas as mães e acrescente-se a isso um dado a mais que deve ser observado por todos:  As mães não morrem.

Elas permanecem eternamente vivas nos corações de seus filhos.